Política

Recorde: eleitores da Capital têm 15 opções de voto para prefeito

Número é praticamente 3 vezes maior que a média

Midiamax Publicado em 07/08/2016, às 01h31

None
lista.jpg

Número é praticamente 3 vezes maior que a média

Neste ano o que não vão faltar são opções de candidatos para votar em Campo Grande, afinal foram 15 nomes homologados no período das convenções. Para ter uma ideia, considerando os últimos 30 anos, a média era de apenas cinco candidatos por eleição. Neste período, o máximo que se chegou foi a sete candidatos.  

A quantidade é expressiva e poderá ser um problema, especialmente para os candidatos que apresentam maiores possibilidades de vencerem o pleito, pois podem perder votos importantes diante dessa possível divisão. Já para o eleitor, pode ser uma grande oportunidade diante de novos projetos e novos debates, como o número sugere.  

Candidatos

Adalton Garcia, micro empresário no setor de comunicação e turismo, responde como presidente regional do PRTB e foi anunciado como o nome do PRTB para a disputa pela prefeitura da Capital. O professor de capoeira Helton Koop do mesmo partido é o seu candidato a vice.

O PSD oficializou a candidatura do deputado estadual Marquinhos Trad à Prefeitura da Capital. Já a advogada Adriane Lopes (PEN), que desenvolve trabalho social dentro da Igreja Assembleia de Deus, disputará como vice de Marquinhos.

Pelo PMB (Partido da Mulher Brasileira), o nome confirmado para prefeitura foi o do ex-deputado federal Pedro Pedrossian Filho. Esta é a primeira eleição do partido e além de candidatura própria, também optou por chapa pura, tendo como vice a técnica de enfermagem Elisângela Maria Freitas.

O PSOL confirmou a pré-candidatura da estudante Rosana Santos à Prefeitura da Capital e do professor Henrique Nascimento para vice. Ambos nunca disputaram eleições e são as novas apostas do partido para este ano. A vice-governadora Rose Modesto (PSDB) também teve nome confirmado na disputa. Junto com ela, está o superintendente licenciado do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), Claudio Mendonça (PR).

Já o PROS confirmou o nome do empresário Luiz Pedro Guimarães como candidato a prefeito de Campo Grande, tendo como vice a Pastora Marcia Mega. O empresário foi um dos autores do pedido de cassação de Alcides Bernal (PP). Em contrapartida, o atual prefeito demorou a admitir que seria candidato, mas fez isso no último dia de convenção. Bernal anunciou o ex-promotor de Justiça e professor universitário, Ulisses Duarte, na composição de vice.

Pela quarta vez nas eleições municipais, o servidor público Suél Ferranti da Silva também é candidato ao cargo do Executivo da Capital. Adrielle Paula entra na chapa como candidata a vice-prefeita. O PTN (Partido Trabalhista Nacional) vai concorrer com chapa pura, tendo o engenheiro Aroldo Figueiró como pré-candidato a prefeito e o empresário Tamotsu Mori, como vice.

O PSC (Partido Social Cristão) oficializou o deputado estadual Coronel David como candidato. O empresário e ex-vereador Renato Gomes, do PRP, que também buscava candidatura própria, teve problemas internos em sua legenda e acabou sendo homologado como vice de David.  Também depois de longa negociação, entre PV (Partido Verde) e a Rede de Sustentabilidade, Marcelo Bluma foi lançado como candidato a prefeito e Roberto Oshiro como vice.

Já o PT (Partido dos Trabalhadores) oficializou o vereador Marcos Alex como candidato a prefeito. O vice é Mário Fonseca (PC do B). Athayde Nery (PPS) foi um dos primeiros a realizar convenção e homologar sua candidatura, mas ainda não divulgou quem será vice.

Por fim, duas candidaturas que foram compostas entre familiares, a do bacharel em direito, Alexsandro Arce Durand (PCO), que sai na disputa tendo como vice, sua mãe, Eclair Arce de Oliveira, e, Elizeu Amarilha (PSDC), também candidato a prefeito que tem como vice o filho, Márcio Marques Mattos. 

Jornal Midiamax