Grupo precisa de 20 vereadores para abrir comissão

Os vereadores da oposição estão empenhados em levar adiante o pedido de abertura de comissão processante contra o prefeito de Campo Grande, (PP). Ao anunciar o protocolo do pedido, Luiza Ribeiro (PPS) disse que o grupo vai procurar lideranças de partidos e até o governador, Reinaldo Azambuja (PSDB), para pedir apoio.

Ao anunciar o pedido a vereadora falou da vergonha que a administração passa com um prefeito que responde por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, pelas dificuldades enfrentadas por educadores e funcionários da saúde, com redução de salário e ressaltou o fato do procurador-geral do Ministério Público, Humberto Brites, ter recomendado a saída do prefeito.

O pedido de abertura de comissão processante está nas mãos da Procuradoria Jurídica, que faz a avaliação da legalidade. Caso não tenha problemas técnicos, o pedido vai à votação do plenário, que precisa do apoio de 20, dos 29 vereadores, para tramitar.

Se vinte vereadores concordarem, a Mesa Diretora faz um sorteio dos membros, que terão 90 dias para ouvir o prefeito e demais envolvidos, antes de concluir relatório avaliando se o prefeito deve ou não ser cassado.

O pedido de comissão foi protocolado pelos vereadores Thais Helena (PT), Alex do PT e Luiza Ribeiro (PPS). Eles não poderão votar para abertura da comissão e nem em um eventual relatório final. Neste caso, a Câmara terá que convocar os suplentes: Roberto Durães-PT, 1890 votos; Lúcio Maciel-PT, 1448 votos e Aldo Donizete-PPS, 1409 votos na última eleição.

 

 

 

 

 

 

Saiba Mais