Anúncio do valor ainda não foi feito

Mesmo antes de o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), anunciar aumento na tarifa do ônibus os vereadores, Chiquinho Telles (PSD) e Luíza Ribeiro (PPS), reenviaram ao Consócio Guaicurus (responsável pelo transporte público da cidade) e à Agereg (Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados) pedido de informações sobre a planilha de custos que rege o vale-transporte. A solicitação já havia sido enviada durante da gestão de Gilmar Olarte (PP) quando houve aumento para R$ 3, mas nunca foi respondida. 

Entre outras coisas, eles querem saber o motivo de não ter havido redução da tarifa quando o Governo do Estado reduziu de 17% para 12% a alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) do óleo diesel em todo Mato Grosso do Sul.

“Está muito caro e falar em aumento é um absurdo. É hora de o prefeito ter pulso firme e dizer não à empresa, já que nem houve acompanhamento da redução no valor do diesel”, disse Chiquinho.

Se a demora em receber respaldo tanto a Agereg quanto da Guaicurus continuar ou nunca chegar, os legisladores vão convocar ainda este ano audiência pública para debater o tema com as autoridades cabíveis e colher opinião da população.

Coringa (PSD) endossou as falas do companheiro de bancada e afirmou ter certeza de que os usuários do transporte público não concordam com o reajuste. “Mesmo assim tenho certeza de que amanhã vamos acordar e ter a surpresa do aumento para R$ 3,50 como querem as empresas”, comentou.

No último sábado, durante agenda pública, Bernal garantiu que a tarifa não vai passar de R$ 3,50 e prometeu anunciar o valor oficial entre esta segunda (ontem) e terça-feira (hoje). Porém, segunda assessoria de imprensa da Prefeitura ainda não há nada definido neste sentido.