Sete membros da quadrilha do ex-major Sérgio Roberto de Carvalho foram condenados pela Justiça de Portugal por tráfico internacional de drogas. A condenação ocorreu no mês de abril. A somatória das penas dos sete chega a 57 anos. 

Foram condenados: Edmilson Gomes, 59, Francisco Gomes Barbosa, 43, Marcos Antônio Teófilo da Silva, 48, José Bezerra Pereira, 68, Janilton Sousa da Rocha, 41, Wálter Santos de Pontes, 40, e Marcelo Teixeira de Lima, 48.

Segundo a coluna de Josmar Zozino para o UOL, Edmilson foi condenado a nove anos. Já os outros membros da quadrilha foram condenados a penas de oito anos e seis meses. Eles ficaram presos em Portugal até 4 de abril de 2020 e foram colocados em liberdade porque o prazo de 10 meses de preventiva se excedeu.

Flagrante com cocaína

Ainda segundo a coluna de Josmar Zozino, os sete membros da quadrilha do ex-major Carvalho foram flagrados a 1h55, no dia 22 de maio de 2019, transportando uma tonelada de cocaína no barco de pesca Wood.

A embarcação foi interceptada no Oceano Atlântico, em Cabo Verde, a 4 mil milhas de Lisboa. Na época, as informações eram de que a embarcação estaria a serviço do ex-major Carvalho. Duas lanchas com fuzileiros navais se aproximaram do pesqueiro e quando entraram no barco encontraram os sete homens. 

Foram apreendidos 999 tabletes da droga prensados em plásticos gerando um prejuízo de 44 milhões de euros.

Enterprise

A Operação Enterprise foi uma ação conjunta entre a Polícia Federal e a Receita Federal, deflagrada em novembro de 2020. Foi a maior operação do ano no combate à lavagem de do tráfico de drogas e a maior da história na de cocaína nos portos brasileiros. No dia 24 de novembro, a Polícia Federal divulgou o balanço. Entre os dados, está a confirmação da prisão de 40 pessoas, sendo três delas em outros países. 

Foram cumpridos mandados em durante a operação. Conforme a divulgação, a operação que tinha como objetivo combater a lavagem de dinheiro proveniente do tráfico internacional de drogas prendeu 37 pessoas no Brasil. Também foi presa 1 pessoa no Panamá, 1 na Colômbia e 1 na Espanha. Ainda foram apreendidos 200 quilos de cocaína, além de 61 veículos, 5 motocicletas, 4 caminhões e 1 jet-ski. 

Já o patrimônio bloqueado, em imóveis, carros de luxo, joias e aeronaves, está avaliado em aproximadamente R$ 400 milhões. Só entre as aeronaves, foi realizado sequestro de 37, uma delas na Espanha, avaliada em US$ 20 milhões. Também foram apreendidas 16 armas de fogo, um simulacro e 507 munições. Já o dinheiro encontrado durante a operação totalizou R$ 1.141.002,00, US$ 169.352,00, € 9.000,00 e 1.120 Dirham (moeda dos Emirados Árabes Unidos).