A megaoperação da Polícia Civil, denominada Operação 100 Dias, que cumpriu 31 mandados de prisão e busca e apreensão na manhã desta terça-feira (18) em , mobilizou mais de 741 policiais em todo o Mato Grosso do Sul. Durante os 100 primeiros dias de 2023 foram 112 mandados de prisão cumpridos e 99 de busca e apreensão em diversas cidades.

As operações Smoke House, da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico), e Sentinela, da Depca (Delegacia Especializada na de Crianças e Adolescentes) fizeram parte da Operação 100 dias. Durante esse período foram 18 presos, cinco veículos recuperados e 820.43 quilos de apreendida, incluindo cocaína, maconha e .

A Operação Smoke House visou cumprir mandados em bocas de fumo da Capital, utilizados como ponto de venda de drogas. Já na Operação 100 Dias foi realizada na Capital e no interior, em locais monitorados pelo Departamento de Inteligência, no combate a crimes de pequenos furtos, furto de fios e fechamento de bocas de fumo.

Balanço do primeiro trimestre do ano

Balanço divulgado pela Polícia Civil nesta terça-feira (18) mostrou que, no primeiro trimestre de 2023, foram feitas 5.330 prisões, sendo 1.568 mandados contra adultos e 47 mandados de apreensão, contra menores. Além disso, foram 3.594 prisões em flagrante e 121 apreensões em flagrante.

Ademais, foram instaurados 10.738 inquéritos policiais para apuração de crimes e retiradas 390 armas de circulação. Ao todo também foram apreendidas 5.692 munições de diversos calibres e apreendidos 54.407,2 quilos de drogas.

Ao todo 90 operações policiais, na Capital e no interior, foram realizadas de janeiro a março de 2023, além de 316 pessoas que estavam desaparecidas e foram localizadas. 477 veículos também foram recuperados.

(Foto: Kisie Ainoã – Jornal Midiamax)

Tráfico de drogas em MS

Segundo o delegado-geral da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, Roberto Gurgel, as operações realizadas combatem o tráfico doméstico, sustentado pelo uso de drogas, e visaram coibir a prática de outros crimes que acabam surgindo com o primeiro.

“A venda de drogas em pequenas bocas de fumo acabam não ficando só nesse tipo de crime, são alimentados pelo furto, pelo roubo e pelo estelionato. Além disso, é muito comum a venda de fios de cobre que são furtados e subtraídos em outros lugares, e chegam até essas bocas de fumo. Isso impacta na energia elétrica de nossas casas e na internet que não chega”, afirma Gurgel.

O delegado titular da Denar, Hoffman D'Ávilla lembra que Mato Grosso do Sul também é um estado que funciona como corredor para outro tipo de tráfico, o interestadual. “Temos esse olhar cuidadoso em relação ao tráfico doméstico, mas MS é corredor para o tráfico interestadual por fazer fronteira com o Paraguai e a Bolívia”, explica.

Segundo o delegado, a atuação da Denar também se estende para o trabalho pedagógico nas escolas, por meio de palestras, e incineração de entorpecentes. Nos 100 primeiros dias de 2023 foram 12,7 toneladas de drogas incineradas.