Homem, de 24 anos, foi preso por furto após a polícia encontrar com ele a bicicleta do enfermeiro Adauto Arantes, de 62 anos, que estava desaparecida desde o dia em que Adauto foi encontrado morto em Três Lagoas, a 338 km de Campo Grande. 

Durante as investigações sobre o assassinato do enfermeiro, a polícia localizou, além da bicicleta, o aparelho celular da vítima com o suspeito, que é ex-colega de trabalho. Segundo a Rádio Caçula, os dois trabalharam em uma indústria de tecidos e chegaram a ter um relacionamento amoroso. 

A SIG (Seção de Investigações Gerais) identificou o rapaz como principal suspeito da morte de Adauto. 

À polícia, ele entregou dois celulares, sendo um deles da vítima. Ele contou ainda que havia comprado o aparelho do próprio Adauto, dois meses antes da morte, mas não apresentou nota fiscal e ficou nervoso, apresentando outras versões, dizendo inclusive que não sabia como o celular estava com ele. 

O filho do enfermeiro apresentou na delegacia a nota fiscal e caixa do aparelho. A bicicleta de Adauto, que havia desaparecido no dia que o corpo foi encontrado, também foi encontrada com o suspeito. 

Por este motivo, ele foi preso por furto qualificado. Agora a polícia investiga se realmente ele é o autor das facadas.

Assassinato

O filho da vítima disse aos policiais que estranhou o pai sumir durante todo o domingo (20), não dando notícias e quando foi até a sua residência encontrou a janela aberta e ao tentar forçar o portão para entrar, já que o idoso não respondia, percebeu o portão encostado. 

Adauto estava ensanguentado, caído no chão do quarto e com dois ferimentos profundos no pescoço e outros três no tórax, segundo o site Rádio Caçula. Ainda segundo informações, ele teria entrado em luta com o autor. 

faca usada no crime não foi encontrada. A suspeita é que ele tenha sido assassinado entre a noite de sexta e sábado. O caso segue em investigação.