O estado de lidera o mercado de cigarro contrabandeado no Brasil, onde movimentou R$ 326 milhões em apenas um ano. Inclusive, nos últimos meses a polícia tem realizado grandes apreensões de produtos ilegais vindos do Paraguai. Nessa terça-feira (3), foram apreendidas 60 caixas de cigarros ilegais no Rio Paraná, em

Dados de 2022, levantados pelo Ipec (Inteligência em e Consultoria Estratégica) e divulgado pelo FNCP (Fórum Nacional Contra a Pirataria e a Ilegalidade) mostram que o cigarro ilegal domina 75% do comércio do produto em MS, sendo a maioria apreensões efetuadas na fronteira com o Paraguai e a Bolívia. 

“As principais portas de entrada do contrabando estão no Mato Grosso do Sul e no Paraná. São os principais portos, onde o fluxo logístico e a geografia são muito propícios para a entrada desses materiais do contrabando”, explica o secretário executivo de de MS, Coronel Wagner Ferreira da Silva.

Porém, o viés econômico é um importante aliado ao mercado ilegal, visto que a disparidade de tributos incentiva a entrada ilegal de cigarros. No Brasil, impostos sobre o produto variam entre 70% e 90%, dependendo do Estado. Já no Paraguai, o cigarro é taxado em apenas 13%, o que gera uma vantagem para os contrabandistas.

Apreensões em MS

Nessa terça-feira (3), a PF (Polícia Federal) apreendeu 60 caixas de cigarros contrabandeados do Paraguai, no Rio Paraná, em Mundo Novo. A carga foi apreendida durante patrulhamento no rio. Diligências foram feitas na região, mas ninguém foi localizado. 

No mesmo dia da carga apreendida em Mundo Novo, dois depósitos clandestinos usados para contrabando de produtos foram fechados durante a Operação Hórus, realizada por policiais do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros), em Campo Grande. Na operação, dois veículos lotados com cigarros contrabandeados do Paraguai foram apreendidos e encaminhados para a Receita Federal.

No dia 31 de agosto, um condutor de um caminhão Scania/T113 foi preso pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) transportando uma carga de 600 mil maços de cigarros contrabandeados na BR-163, em Rio Brilhante. Durante a abordagem, o homem tentou fugir da equipe policial e acabou abandonando o veículo, porém, foi preso logo em seguida.

(Divulgação, PRF)

Em julho, dois investigadores da Polícia Civil presos ao furtarem uma carga de cigarros de um contrabandista foram denunciados pelo MPMS (Ministério Público Estadual) pelos crimes de peculato e contrabando. Os policiais foram presos, no dia 4 de julho, depois do contrabandista denunciar os agentes.