Na tarde desta quarta-feira (13), amigos e familiares se reuniram no velório de Gislaine Aparecida Gonçalves Martins, de 30 anos, assassinada pelo marido na noite do último domingo (10), em , a cerca de 225 quilômetros de .

A cerimônia acontece no Santo Amaro, na Capital. O velório,  marcado por tristeza, conta com a presença da mãe, familiares e amigos próximos de Gislaine e da família.

Abalados, os familiares não quiseram conversar com a imprensa. Em poucas palavras, uma amiga da família lamentou o ocorrido: “bárbaro”, resumiu.

Feminicídio

Gislaine foi assassinada na noite de domingo (10), com um golpe de faca no pescoço. O marido da vítima, Alex Lima da Silva, de 35 anos, foi preso pelo crime.

O corpo foi encontrado na noite de segunda-feira (11), na casa onde ela morava com os filhos, um menino de oito anos, de um relacionamento anterior e outras duas crianças, de um ano e três meses e um de 3 meses, que também são filhos de Alex.

O filho mais velho de Gislaine estava na casa e não percebeu que a mãe estava morta. Conforme as investigações, o menino pensou que ela estivesse dormindo.

Alex foi preso ao retornar ao local, onde matou a mulher, e encontrar os policiais na casa. A princípio ele fingiu não saber da morte de Gislaine, mas em seguida confessou o crime.

Na tarde dessa terça-feira (12), ele teve prisão preventiva decretada. O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) como feminicídio majorado, quando praticado na presença de descendente ou ascendente da vítima. A delegada plantonista do caso é Ana Claudia Pimentel Malheiros Gomes, titular da DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher), que esteve no local do crime.

O sepultamento de Gislaine será realizado ainda nesta quarta-feira, no em Campo Grande.