Depois de matar a mulher e deixar o corpo em cima da cama com o enteado de 8 anos, o marido voltou à noite e se apresentou aos policiais para perguntar o que tinha acontecido. Ele disse que tinha recebido uma ligação em que foi informado que ela estava morta. Em seguida, confessou o crime e acabou algemado no local.

Gislaine Aparecida Gonçalves Martins, de 30, foi encontrada morta dentro da casa onde residia na Rua C2, no Jardim Carisma, em Dourados, na noite dessa segunda-feira (11). Ao lado do corpo dela, estava o seu filho, de oito anos.

A criança é de outro relacionamento. Com o atual marido, Gislaine tinha dois filhos. Um menino de 1 ano e 3 meses e outro de apenas 3 meses – que estão sob os cuidados da avó paterna.

Gislaine foi assassinada com um golpe de faca, dado pelo próprio companheiro, provavelmente na noite de domingo (10). Desde então, o menino permaneceu junto ao corpo da mãe. Há informações de que ele achou que ela estava dormindo. Agora ele está sob a guarda de uma conselheira tutelar.

Aos policiais, conforme boletim de ocorrência, ele confessou que havia desferido um golpe de faca na região do pescoço de Gislaine, o que ocasionou sua morte.

Ao ser questionado sobre a arma do crime, ele disse que ela estava na frente da casa de sua mãe, que foi arrolada como testemunha. Ele foi algemado e precisou deixar o local rapidamente devido à revolta dos vizinhos.

O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) como feminicídio majorado, quando praticado na presença de descendente ou ascendente da vítima. A delegada plantonista do caso é Ana Claudia Pimentel Malheiros Gomes, titular da DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher), que esteve no local do crime.