Motorista estaria tirando 'racha' a 180 km/h antes de acidente que matou jovem na Júlio de Castilho

Um dos ocupantes relatou que o grupo estava em uma festa
| 16/04/2022
- 07:38
Motorista estaria tirando 'racha' a 180 km/h antes de acidente que matou jovem na Júlio de Castilho
Carro atingiu o poste após subir na calçada (Foto: Leonardo de França, Midiamax)

O acidente que vitimou Roberta da Costa Coelho, de 25 anos, no início da manhã deste sábado (16), na Avenida Júlio de Castilho, teria acontecido durante um ‘racha’. A suspeita é de que o motorista dirigia a 180 km/h quando perdeu o controle da direção na curva, perto do cruzamento com a Rua Antônio Ferreira Damião, invadiu a calçada e atingiu o poste.

Conforme o delegado plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro, Rodrigo Camapum, seis pessoas ocupavam o Ford Ka branco, sedan. Com o impacto da batida do , o poste chegou a ficar suspenso pela fiação e equipes da Energisa foram acionadas. Ocupantes do veículo teriam sido arremessados, entre eles a vítima fatal.

Um dos ocupantes do carro chegou a bater com a cabeça no para-brisa. Testemunhas relataram que o motorista do Ford Ka estaria ‘tirando um racha’ no momento do acidente, mas o outro veículo não permaneceu no local. Polícia Militar informou que o carro estaria a 180 km/h.

Motorista teria tirado racha com outro carro
(Foto: Leitor Midiamax)

Equipes do Corpo de Bombeiros foram acionadas e socorreram as vítimas, mas Roberta não resistiu aos ferimentos. Os outros ocupantes foram levados para a Santa Casa, o motorista em estado grave, segundo relatado pela polícia.

Dentro do veículo foram encontradas latas de cerveja. Uma testemunha contou ao Midiamax que conversou com uma das vítimas e o rapaz disse que estava em uma festa. Ele é de Dois Irmãos do Buriti e estava em Campo Grande no feriado.

O jovem ainda disse que iria solicitar uma corrida por aplicativo, quando o motorista ofereceu a carona e ele acabou aceitando. Por conta do acidente, a região ficou sem elétrica. O trecho da avenida foi interditado para os trabalhos da Energisa e também da Perícia e Polícia Civil.

Veja também

São registros de lesão corporal, ameaça e até violência doméstica

Últimas notícias