Cuidadora de idosa abriu porta para bandidos amarrarem e roubarem família na Vila Margarida

Sete pessoas foram presas nas investigações
| 27/05/2022
- 13:08
Cuidadora de idosa abriu porta para bandidos amarrarem e roubarem família na Vila Margarida
(Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

Ao todo, 7 pessoas foram presas por envolvimento no roubo e cárcere privado de uma família, na madrugada de quinta-feira (26), na Vila Margarida, em Campo Grande. Os bandidos conseguiram entrar na após a cuidadora, de 31 anos, abrir o portão. Ela cuidava da idosa de 91 anos, mãe da moradora da residência.

Conforme relatado pela cuidadora, o irmão dela cumpre pena na Máxima e certa vez ele usou um celular para conversar com ela. Depois, ela passou a trocar mensagens com outro preso, pelo mesmo número. Após algum de conversa, ela contou que tinha sido acusada do roubo de um celular na casa em que trabalhava.

Foi então que o detento teria sugerido o roubo, dizendo ainda que ela teria apenas que abrir a porta para os assaltantes. Na madrugada de quinta, os suspeitos teriam combinado o assalto por volta da 1 hora, por conferência pelo celular. Então, foram até a casa das vítimas.

Assim que chegaram, a cuidadora recebeu mensagem avisando que os bandidos estavam na porta e ela abriu. Os suspeitos amarraram o casal, levaram vários objetos e os dois carros, um Creta e um Tucson. Um jovem de 19 anos teria guardado objetos em casa e também foi preso.

Família foi amarrada e roubada
Suspeitos foram presos (Divulgação, PMMS)

Além dele, a cuidadora de 31 anos e os outros assaltantes, de 20 e 27 anos, também foram detidos pelas equipes da Defurv (Delegacia Especializada de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos). Ainda foram presas três pessoas em flagrante.

Em Maracaju, um casal de 18 anos foi preso e, em Ponta Porã, um rapaz de 22 anos foi preso. Os quatro envolvidos presos em Campo Grande passaram por audiência de custódia nesta sexta-feira (27) e tiveram a prisão preventiva decretada.

Amarraram e roubaram família

Na residência, três criminosos renderam a família, um homem e três as mulheres, sendo uma delas a cuidadora. Eles teriam colocado duas vítimas em um quarto e outras no outro quarto, amarradas sobre a cama. Os bandidos então levaram vários objetos da residência, como eletrônicos, joias e outros pertences divididos nos dois veículos levados pelo grupo.

Após os criminosos fugirem do local, as vítimas conseguiram se soltar e acionaram a polícia que conseguiu avistar os dois veículos na MS-164, um Hyundai Tucson e um Creta que estavam seguindo sentido à fronteira e teria como destino o Paraguai.

Os policiais começaram a fazer um acompanhamento tático e o Creta conseguiu fugir no sentido a Ponta Porã, mas a Tucson foi abordada no Distrito de Vista Alegre, em Maracaju, e estava sendo conduzida por um jovem de 18 anos e tendo como passageira uma jovem da mesma idade.

O condutor confessou o crime e disse que, após sair da residência, foram até o bairro Sílvia Regina para buscar a passageira e seguiram para Pedro Juan Caballero, no Paraguai. Os policiais avisaram os policiais de Ponta Porã que conseguiram identificar o outro veículo furtado.

Conforme o boletim de ocorrência, os policiais avistaram o Creta que trafegava em alta velocidade, momento em que foi iniciado o acompanhamento tático com sinais luminosos e sonoros, onde foi realizada a abordagem do veículo na Vila do Secador, no Distrito de Nova Itamarati, após consulta foi confirmado que se tratava do veículo roubado em Campo Grande.

O condutor de 22 anos disse que receberia R$ 600 para entregar o veículo em Pedro Juan Caballero.

Veja também

Últimas notícias