Família faz apelo por respostas e acredita que garagista de Campo Grande desaparecido está vivo

Filha acredita que ele possa estar em cativeiro
| 06/12/2021
- 14:54
Carlos está desaparecido desde o dia 30 de novembro
Carlos está desaparecido desde o dia 30 de novembro - (Reprodução, Facebook)

Completando quase uma semana do desaparecimento de Carlos Reis Medeiros, o ‘Alma’, de 52 anos, a família pede respostas à polícia e pistas sobre o paradeiro do garagista. “Não estamos vivendo, não conseguimos trabalhar, não estamos comendo”, desabafou uma filha do empresário.

Com 7 filhos de sangue, mais dois de criação, e 7 netos, o desaparecimento do empresário deixou a família abalada. “Isso tudo dói muito, é horrível não saber como ele está”, relatou uma das filhas de Carlos. “Nossa vida parou, as crianças perguntam do vovô, eles têm um orgulho de falar desse vovô deles”.

A filha ainda contou que os irmãos dão força uns aos outros, tentando se apoiar. “Estamos acabados”, disse. Ainda segundo a filha, ela acredita que a polícia espera achar apenas o corpo do empresário, “mas meu pai está vivo”, desabafou. Após a prisão de um suspeito de envolvimento no desaparecimento de ‘Alma’, a família acredita que o empresário possa estar em cativeiro.

Os suspeitos foram flagrados pelo Batalhão de Choque, em um carro nas . Três homens e uma mulher ocupavam o veículo e estavam com colchão, ventilador e outros pertences no carro. Eles alegaram que seguiam para uma chácara quando foram abordados. “Será que não estavam indo pra o cativeiro do meu pai?”, questionou a filha.

O que se sabe até agora

Carlos foi visto pela última vez na terça-feira (30), em um estabelecimento na Avenida Guaicurus, quando chegou a ser flagrado por câmeras de segurança às 9h50. Ainda segundo a família, há relatos que, por volta das 11 ou 12 horas do mesmo dia, ele foi visto em outro ponto da mesma avenida, na região do Itamaracá.

Desde então, o empresário está . Carros que eram do garagista foram encontrados pela DEH (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídio), no momento em que eram levados para um desmanche. O responsável confessou que comprou os veículos por R$ 15 mil, em um site de vendas.

A camionete do garagista foi encontrada em um terreno, que estava trancado. Ainda é investigado como o veículo foi deixado no local e há informação de que a camionete já passou por perícia. A última pista sobre o desaparecimento seria a identificação dos três homens, que poderiam ter envolvimento no caso.

Abordados nas Moreninhas no último sábado, eles revelaram que conheciam o empresário. A princípio, um dos homens devia R$ 3 mil e outro R$ 5 mil para o garagista. Mesmo assim, acreditam que os valores eram baixos e que não se comparavam ao que outras pessoas deviam para Carlos.

Há informação de que um devedor teria feito ameaças ao empresário, que segue desaparecido.

Veja também

A Polícia Militar Rodoviária apreendeu 5,3 toneladas de maconha em Ponta Porã, cidade a 298...

Últimas notícias