Polícia

Com restrições, Justiça autoriza ‘famoso’ do Dhama a viajar para Fernando de Noronha

O ‘famoso’ morador do residencial de luxo Damha III, em Campo Grande teve negado na última segunda-feira (18), o pedido feito para a Justiça da revogação das medidas cautelares impostas depois de ter sua liberdade concedida após prisão, no dia 15 de agosto de 2020 quando realizou uma festinha em sua casa, perturbando os vizinhos […]

Thatiana Melo Publicado em 20/01/2021, às 09h45 - Atualizado em 21/01/2021, às 07h12

(Henrique Arakaki, Midiamax)
(Henrique Arakaki, Midiamax) - (Henrique Arakaki, Midiamax)

O ‘famoso’ morador do residencial de luxo Damha III, em Campo Grande teve negado na última segunda-feira (18), o pedido feito para a Justiça da revogação das medidas cautelares impostas depois de ter sua liberdade concedida após prisão, no dia 15 de agosto de 2020 quando realizou uma festinha em sua casa, perturbando os vizinhos com som alto e aglomeração. Ele ainda fez um pedido para viajar até Fernando de Noronha, no dia 26 de janeiro deste ano.

No pedido feito pelos advogados do ‘famoso’ morador há requerimento da suspensão das medidas cautelares que foram impostas a ele como: recolhimento domiciliar obrigatório no período noturno, das 21 horas até às 05 horas do dia seguinte e proibição de frequentar e realizar festas, eventos e reuniões de qualquer natureza que gerem aglomeração de pessoas, inclusive eventos esportivos e campeonatos.

O juiz de direito Waldir Peixoto Barbosa em suas alegações afirma que “O pedido de revogação das medidas cautelares, apesar de já apreciado por este Juízo, vai mais uma vez indeferido, porquanto não porquanto não vislumbra-se fato novo e nem justificativa plausível da necessidade de alteração da medida”.

Já sobre o pedido de autorização de viagem a Fernando de Noronha, no dia 26 de janeiro, para comemorar seu aniversário de casamento, o magistrado concedeu a permissão.

Em novembro de 2020, depois de ter sido notificado de prazo para deixar o condomínio de luxo residencial Damha III, em Campo Grande, sob pena de multa de R$ 200 mil diários, o famoso morador entrou em um acordo com a associação do condomínio para permanecer no local pagando o valor de R$ 101 mil.

O acordo feito com a associação nesta semana implica em o famoso morador pagar no dia 5 de dezembro deste ano, o valor de R$ 50.554, sendo que o restante acabou parcelado em 12 vezes a contar a partir de janeiro de 2021. O morador ainda se comprometeu a pagar as multas administrativas do condomínio, valor superior a R$ 100 mil. O acordo prevê, ainda, que se o morador reincidir uma única vez será expulso novamente.

Em setembro, a associação havia entrado com pedido de exclusão do morador. O pedido de urgência foi protocolado pelos advogados da associação dos moradores depois de mais reclamações serem levadas ao condomínio. No dia 18 de setembro, um morador fez uma reclamação a mais uma festa promovida pelo morador ‘famoso’, e também no dia 20 outra reclamação foi feita de música alta depois das 22 horas.

Boletins de ocorrência

O morador já tem várias denúncias, sendo mais de 10 boletins de ocorrência. Entre elas uma em 2019, em que teria trancado os filhos ainda menores de idade em casa, tomado remédios e acordando só no dia seguinte. Assim, as crianças saíram do imóvel pelo telhado, e por esse crime ele é investigado na Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente).

Em 2012, 2015 e 2017 o empresário também tem contra ele denúncias registradas por calúnia, perturbação do sossego e descumprimento de legislação ambiental. Já em 2020 são oito registros de B.Os por perturbação do sossego e infração de medida sanitária devido as festas que promove no Damha. Em uma das festas na noite de 26 de julho, ele ignorou o delegado que foi até o local fingindo que não estava em casa.

Conforme relato de testemunhas, frequentemente o morador abusa do som alto no local, sendo que naquela noite, um decibelímetro na casa de um vizinho aferiu 67,6 decibéis. Além do carro do morador, ainda havia outros veículos na frente da casa, indicando que outras pessoas também estavam ali.

Jornal Midiamax