Polícia

Com policiamento reforçado, coronel preso por extorsão coloca tornozeleira eletrônica

Ele ganhou liberdade com aplicação de medidas cautelares

Renata Portela e Dayene Paz Publicado em 27/05/2021, às 13h35

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - (Foto: Leonardo de França, Midiamax)

No início da tarde desta quinta-feira (27), o coronel da reserva José Ivan de Almeida foi até a Unidade de Monitoramento Virtual, no Amambaí, e teve a tornozeleira eletrônica instalada. Preso em flagrante na quarta-feira (26) por extorsão, ele teve liberdade garantida na audiência de custódia, mediante aplicação de medidas cautelares como o monitoramento.

Conforme apurado pelo Midiamax, o coronel chegou por volta das 12h30 e saiu às 12h50. Ele foi levado em uma viatura descaracterizada e estava acompanhado de um policial militar. Equipes policiais também faziam rondas pela região durante a instalação da tornozeleira no coronel. Ele agora pode aguardar o andamento do processo em casa.

Além do coronel, também foram presos o policial civil aposentado Reginaldo Freires Rodrigues e o sobrinho de Fahd Jamil, Patrick Samuel Georges Issa, ‘dono’ do dinheiro pelo qual os policiais faziam a cobrança. Todos tiveram liberdade garantida mediante aplicação das medidas cautelares. Eles não podem chegar a menos de 300 metros das vítimas e os dois policiais foram liberados com uso da tornozeleira.

Cobrança indevida

Ivan teria dito que receberia R$ 2 mil pela ‘cobrança’, que seria o valor para pagar o condomínio onde mora, cujo custo é de R$ 1,5 mil. Na casa dele, a Polícia Civil encontrou mais de R$ 16 mil em espécie e também uma arma de fogo.

O coronel já teria cometido o crime de extorsão dias antes da prisão em flagrante. Ele e o comparsa Reginaldo foram presos na casa da vítima, flagrados pelas câmeras de segurança praticando a extorsão. Após aproximadamente um ano sendo ameaçadas, as vítimas levaram o caso ao Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) e Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros).

Um quarto envolvido no esquema de extorsão já foi identificado e deve ser preso nos próximos dias. José Ivan é aposentado e recebe mais de R$ 32 mil do Governo. Junto com o policial civil aposentado, ele integra o braço armado do esquema de extorsão agindo com ameaças e coagindo as vítimas há mais de um ano.

A princípio, os empresários teriam feito um negócio com Patrick e teria sido gerada a dívida de R$ 80 mil. As vítimas foram cobradas, pagaram R$ 150 mil e continuaram sendo extorquidas. Atualmente, Patrick estaria cobrando mais de R$ 300 mil dos empresários.

Durante a prisão do coronel, as equipes fizeram buscas na casa do militar, onde foi apreendido um revólver calibre 38. Na casa de Patrick também teriam sido apreendidas armas de fogo.

Jornal Midiamax