A família do rapaz de 28 anos baleado durante confraternização ocorrida em conveniência no Bairro Paulo Coelho Machado, na noite desta sexta-feira (17), aguarda há de 18 horas por cirurgia para retirada da bala, alojada na medula. A esposa dele, Angela Rosane Cordeiro de Souza, de 31 anos, recebeu a notícia dos médicos de que seu marido ficou paraplégico. André de Freitas Santos, de 27 anos, morreu ainda no local após ser atingido na região da axila.

Angela explicou ao Jornal Midiamax que o marido deu entrada na Santa Casa na noite de ontem (17) por volta das 21h. Ele ficou no Pronto Socorro até as 14h de hoje (18), quando foi liberado um quarto, onde a família se reveza para acompanhá-lo. “Ontem os médicos falaram que a bala estava no pulmão, hoje disseram que está na medula. Eu fico com medo de acontecer alguma coisa com ele, não sabemos por que ele não fez cirurgia até agora”, questiona.

Segundo a esposa, o rapaz está sedado e sem tomar água desde as 1h30, para que pudesse fazer a cirurgia de retirada do projétil. “Toda hora ele pergunta da nossa filha de 3 anos e do amigo dele. Ainda não contamos que o André morreu”.

Angela explica que estava trabalhando no momento em que o crime ocorreu, e sabia que o marido tinha ido à confraternização. Ela explica que o esposo conheceu André e os outros colegas no curso de elétrica e disse que o instrutor conhecia a namorada do suspeito.

[Colocar ALT]
(Foto: Diego Alves)

Agora, a família tenta transferir o rapaz para um hospital particular, uma vez que ele tem plano de saúde. “Queremos que ele opere logo. Mandaram para o quarto, mas e aí? Não vão fazer mais nada? Se pelo menos nos falassem quais são os procedimentos para transferir, mas não disseram mais nada”, questiona.

20 segundos

Imagens de câmeras de segurança do local mostram o homem chegando em uma moto, na garupa, descendo e disparando contra os dois rapazes que estavam com sua namorada, no deck da conveniência, onde ocorria um show sertanejo ao vivo. A ação do atirador dura cerca de 20 segundos.

André foi baleado na região da axila, e uma funcionária do local tentou fazer massagem cardíaca nele duas vezes, antes da chegada do Corpo de Bombeiros, sem sucesso. Gerente da conveniência, de 33 anos, disse ao Jornal Midiamax que os disparos tinham alvo certo. “Ele chegou, já intencionado, se apoiou no deck e efetuou os dois disparos”.

Segundo a gerente, cerca de oito pessoas participavam da confraternização e estavam consumindo bebidas alcoólicas desde as 17h. Por volta das 20h30, ficaram apenas a mulher e os dois rapazes. Cerca de 10 minutos depois, às 20h40, o crime ocorreu.

“A mulher ainda ficou um bom tempo conversando com a polícia. Já presenciei algumas brigas e discussões nos oito anos que trabalho aqui, mas nunca algo parecido”, afirmou a gerente.

Outra funcionária, que preferiu não se identificar, relatou que estava perto de onde o motociclista parou, junto ao autor. “Ele desceu da moto, mirou no palco e já atirou. Foi tudo muito rápido”, alega.

Outra testemunha, que também não se identificou, afirma que cresceu no bairro e conhece a conveniência. “Foram dois tiros só e bem rápido, ainda tinha o barulho da chuva e o som no palco, logo depois teve uma gritaria”, relatou.

Briga por ciúmes

Conforme apurado, o autor teria chegado ao local para buscar a namorada, que fez o curso e também participava da confraternização. Ele então chegou ao local de moto, entrou na conveniência e, por ciúmes, atirou contra os dois colegas da jovem. Após o crime, o autor, já identificado, fugiu de moto. A polícia realiza diligências atrás do criminoso. A Polícia Militar, Civil e Perícia foram acionadas. Equipes do GOI (Grupo de Operações e Investigações) fazem buscas pelo autor.