Polícia

Filho que matou mãe deixou casa de reabilitação há 10 dias por causa de pandemia

O filho de 45 anos, que matou a idosa de 72 anos, Antônia Carlos Sales, na tarde desta quinta-feira (9), no bairro Núcleo Habitacional Universitárias, em Campo Grande havia deixado há 10 dias uma clínica de reabilitação para dependentes químicos por causa de dificuldades que o local enfrentou com a pandemia do coronavírus (Covid-19). Antônia […]

Thatiana Melo Publicado em 10/04/2020, às 08h40 - Atualizado em 11/04/2020, às 09h04

None

O filho de 45 anos, que matou a idosa de 72 anos, Antônia Carlos Sales, na tarde desta quinta-feira (9), no bairro Núcleo Habitacional Universitárias, em Campo Grande havia deixado há 10 dias uma clínica de reabilitação para dependentes químicos por causa de dificuldades que o local enfrentou com a pandemia do coronavírus (Covid-19). Antônia foi assassinada com golpes de facão na cabeça e no pescoço.

O autor que foi preso em flagrante e levado para a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) contou que é alcoólatra e que cuidava de uma horta em um comodato com sua mãe e que recebia R$ 80 diariamente, sendo que nesta quinta (9) sua irmã foi até o local e lhe deu dinheiro para comprar cigarros e um corote, já que o mercado iria fechar devido ao feriado da Semana Santa.

Ele, então, foi até o mercado e na volta parou próximo a um córrego com o facão que usava na horta e passou a beber cachaça se lembrando, apenas, de ver o vizinho chegar em sua casa. Depois contou não se recordar de nada, e nem de ver o corpo de sua mãe, apenas de ter um corte no pescoço. O homem disse que nunca havia sido agressivo com sua mãe e que não se recorda do crime.

O homem foi levado para a delegacia depois da chegada da Polícia Militar a residência. O facão usado para cometer o crime foi apreendido. Algumas testemunhas contaram aos policiais que o autor estava apresentando comportamento insano.

Jornal Midiamax