Após casal ser preso na madrugada desta terça-feira (21) por torturar uma menina de 3 anos e 6 meses, o outro filho do casal, um bebê de 6 meses foi encaminhado para uma unidade de acolhimento do Conselho Tutelar. O bebê deve passar por exames, para identificar se também sofreu qualquer tipo de agressão.

Conforme apurado pelo Jornal Midiamax, o bebê de seis meses ficou aos cuidados do Conselho Tutelar, deve passar por exames e qualquer indício de agressão será repassado para a Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), que investigará o caso. O casal foi preso nesta madrugada após a filha da mulher de 21 anos, enteada do rapaz de 19 anos, dar entrada no hospital com sinais de tortura.

Segundo informações da Santa Casa, a menina passa por cirurgia nesta tarde, na perna esquerda onde sofreu a fratura exposta. Por volta da 1 hora desta madrugada, ela foi levada pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) até a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Leblon, acompanhada da mãe.

A menina estava sem calcinha e a mãe relatou um histórico de queda do berço na tarde de domingo (19). Ela chegou a dizer que encontrou a menina caída no chão, se queixando de dores na perna. A menina tinha vários ferimentos pelo corpo e a mãe acabou confessando as agressões que a criança sofria, com arame farpado.

Levada para a Santa Casa, a menina passou por exames, que constataram a fratura na perna. Também foi feito exame ginecológico, que não apontou abuso sexual. Ela segue acompanhada do Conselho Tutelar, assim como o bebê de seis meses que também é filho do casal.

Na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Cepol, o casal confessou as agressões e torturas. O rapaz, que estava evadido do Sistema Prisional, chegou a revelar que batia na menina com um fio de ventilador, mas negou que tenha sido o responsável pela fratura na pena da criança. A mãe também participava das agressões.

Presos pela tortura contra a criança, eles não disseram qual seria a motivação das agressões.