A PMA (Polícia Militar Ambiental) autuou uma empresa em R$ 25 mil por construir drenos ilegais e aterrar áreas protegidas de nascentes em , cidade a 440 quilômetros de Campo Grande.

Policiais militares ambientais de Mundo Novo realizavam em propriedades rurais da cidade, quando encontraram as irregularidades em uma fazenda de uma empresa agrícola, a 15 quilômetros da zona urbana.

No local foi flagrado construção de valetas (drenos) em áreas protegidas de nascentes. Além dos drenos degradando as nascentes em APP (Área de Preservação Permanente), houve ainda o aterramento de alguns desses mananciais pelo revolvimento do solo por gradeamento em área de 2 hectares.

O responsável pela empresa proprietária da fazenda alegou que os trabalhos seriam para plantio de mudas nativas, porém, não possuía nenhum projeto técnico da atividade e nem autorização ambiental para alterar a área protegida.

A empresa, com domicílio jurídico em Eldorado, foi autuada administrativamente e multada em R$ 25 mil. Os responsáveis também responderão por crime ambiental de destruir área de preservação permanente. A pena para este crime é de um a três anos de detenção. A infratora foi notificada a apresentar plano de recuperação da área degradada e alterada (PRADA), junto ao órgão ambiental.