Polícia

Suspeito de furtar projetores avaliados em R$ 24 milhões vai para o presídio

Parte dos equipamentos foi localizada em Campo Grande

Wendy Tonhati Publicado em 24/04/2015, às 19h26

None
img-20150424-wa0008.jpg

Parte dos equipamentos foi localizada em Campo Grande

Foi encaminhado para o presídio na tarde desta sexta-feira (24), Carlos Santana de Siqueira, um dos integrantes da quadrilha que furtou projetores cinematográficos avaliados em R$ 24 milhões. O furto, considerado pela polícia como o maior do Brasil, foi desvendado pela Polícia Civil de Mato Grosso do Sul.

Siqueira foi preso no Mato Grosso e trazido por policiais da Deco (Delegacia Especializada em Combate ao Crime Organizado) na última quinta-feira (23). De acordo com a delegada responsável pelo caso, Ana Cláudia Medina, o suspeito foi preso no fim de semana, por conta de um mandado de prisão expedido no inquérito da Deco, ao passar por barreira da PRF (Polícia Rodoviária Federal).

O suspeito prestou depoimento durante a madrugada e encaminho ao sistema penitenciário.

Caso

Três pessoas já haviam sido presas – os irmãos Célio Andrade de Barcelo, de 36 anos, e Luiz César Andrade de Barcelo, de 34 anos, e Antônio Cláudio Corrêa de Souza, de 37 anos. Outras cinco pessoas foram identificadas e indiciadas.

Por enquanto, a polícia aguarda deliberações da Justiça para poder prender os envolvidos, que fariam parte da ‘cabeça’ da organização criminosa. Entre eles está um servidor público da área da segurança.

Foi apurado pela Deco que a carga de projetores cinematográficos seria levada para o Paraguai. A quadrilha trocaria tudo por fuzis, que voltariam para o Rio de Janeiro. A princípio, a polícia não encontrou indícios de envolvimento da quadrilha de furto com facções criminosas. Parte da carga foi localizada em um galpão em Campo Grande.

Jornal Midiamax