Polícia

Confusão entre assessores em culto de Olarte leva dois para delegacia, segundo Polícia

Dois chegaram a ser detidos por supostamente ameaçar o pastor Olarte durante um culto, segundo registros policiais e declaração do delegado. Mesmo assim, Bernal afirma que o ex-assessor nem estava lá e nega que conheça Salem.

Arquivo Publicado em 02/06/2014, às 11h36

None

Dois chegaram a ser detidos por supostamente ameaçar o pastor Olarte durante um culto, segundo registros policiais e declaração do delegado. Mesmo assim, Bernal afirma que o ex-assessor nem estava lá e nega que conheça Salem.

[ERRATA: Texto editado às 10h40 para retificar a informação de que Silvano Carvalho estaria entre os envolvidos. Na verdade, ao contrário do que foi inicialmente publicado, com base em informações policiais, o envolvido se chama Silvano Barbi da Silva. A reportagem já havia publicado neste texto e em matéria específica o posicionamento de Silvano Carvalho negando o envolvimento // Título alterado]


A polícia afirmou que Salem Pereira Vieira, preso durante operação do Gaeco (Grupo Armado de Repressão ao Crime Organizado), se envolveu em confusão durante o ‘Culto da Vitória’, realizando neste domingo (1º), na Assembleia de Deus Nova Aliança, da qual o atual prefeito Gilmar Olarte é pastor.


Segundo as informações policiais, Salem e Silvano Barbi da Silva foram ouvidos e liberados, sendo que o segundo foi ouvido como testemunha, segundo o delegado Alberto Luiz Carneiro da Cunha de Miranda, plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Piratininga.


Na versão do guarda municipal Fabiano Neves, que é assessor de Olarte, e foi detido por porte ilegal de arma de fogo durante ação do Gaeco na casa do prefeito Gilmar Olarte, Silvano e Salém chegaram em caminhonetes, em atitude suspeita. “Eles passaram três vezes na frente e quando foram entrar, começaram a ameaçar o prefeito”, relata.


Silvano e Salém não chegaram a encontrar Olarte e, segundo Fabiano, os dois foram impedidos de entrar na igreja. Ainda segundo o relato do segurança do prefeito, Salem teria mostrado uma arma de fogo em tom ameaçador. A polícia foi acionada e deteve os suspeitos na rua do Sul. “Estamos sofrendo constantes ameaças, eles estão mandando recados”, afirmou Fabiano.


Salém foi preso durante a operação do Gaeco (Grupo Armado de Repressão ao Crime Organizado), que corre em segredo de Justiça. As informações são contraditórias sobre a suposta ligação dele com o atual ou o ex-prefeito. Em entrevista ao Midiamax, ele negou  vínculo com o ex-prefeito cassado.


Outro lado


Questionado sobre o caso, o ex-prefeito Alcides Bernal afirmou que as informações sobre a detenção são uma grande “mentira” e disse ser vítima de uma campanha difamatória. Ele confirma que Silvano foi assessor dele, mas nega ligação com Salem.


[Houve uma confusão entre os nomes de Silvano Carvalho, a quem Bernal de referia, e Silvano Barbi, que estava em uma das caminhonetes com Salem, segundo o registro policial]


Bernal diz ter certeza de que Silvano estava em casa durante a noite de ontem. “É mais uma calúnia que eu vou exigir que o Ministério Público tome providências”, disse.


[De fato, os registro policiais em momento algum mencionam o nome de Silvano Carvalho, mas sim de Silvano Barbi da Silva]

Jornal Midiamax