Cobiçado por americanas, corpo ‘pai de família’ também atrai campo-grandenses

Os chamados “dad bod” também agradam as mulheres da Capital 
| 05/05/2015
- 18:58
Cobiçado por americanas, corpo ‘pai de família’ também atrai campo-grandenses

Os chamados “dad bod” também agradam as mulheres da Capital 

Você já ouviu falar dad bod? O termo em inglês não é muito conhecido aqui no Brasil, mas tem ganhado força nas últimas semanas nos Estado Unidos. Descrito pela primeira vez por uma universitária de 19 anos, o termo faz referência ao tipo físico do homem que joga futebol de vez em quando, que não gosta de frequentar academia e não tem, e nem almeja, aquela idolatrada barriga tanquinho.

Esse tipo de homem não está muito distante do mundo real. Segundo a jovem, o dad bod faz o cara parecer mais humano, natural e atraente. “Ele não está muito acima do peso, mas também não tem um abdome tanquinho”. O termo já está tão disseminado que há até uma dieta para o homem que quer conquistar esse outro tipo de corpo ideal.

Entre as americanas esse tipo físico “pai de família” tem feito sucesso, mas e entre as campo-grandenses, será que esse tipo específico de homem agrada a mulherada? A equipe de reportagem do Jornal Midiamax perguntou pra algumas mulheres se o estilo dad bod faz sucesso entre elas. A opinião foi meio dividida, mas surpreendeu.

A estudante Kerolyn Araujo de 22 anos já disse logo que não é do tipo que idolatra os tipos sarados de academia. “Cara malhadão pra mim não rola muito não. Precisa ter uma saliência”, conta Kerolyn que ainda destaca que de modo geral o que menos importa é o corpo.

Opinião compartilhada pelas estudantes Schimene Weber e Ana Laura Sandim. Para elas o tipo físico é o que menos conta, que outras coisas devem ser admiradas no homem, mas deixam claro que mesmo gordinho, o homem precisa se cuidar.

Fernanda Freitas de 23 anos também ressaltou a preferência por dad bod, mas ressalta que homem precisa ser vaidoso. “Prefiro esse tipo físico do que esses homens saradões metidos a fitness que só pensam em academia. Lógico que não gosto de homens “esculachados”, mas homens que se cuidam, passam protetor, hidratante, creme para os cabelos”.

Por outro lado, tem aquelas que preferem os malhados. Braço forte, músculos definidos e nada daquela barriguinha saliente. É o caso da estudante Stephanie Romcy, que fez até carinha de nojo ao ouvir a descrição dos homens que se encaixam no perfil dad bod. Indagada se homem para ela tem que ser malhado, foi categórica. “Se for [forte], melhor ainda. Só não pode ser gordo, de jeito nenhum”.

As estudantes Carla Xavier, Josiane Paganini e Mayara Coimbra também preferem aqueles homens mais fitness, que gostam de cuidar do corpo, mas não tem preconceito com os gordinhos.

Apesar das opiniões diferentes em uma elas concordam, precisamos de qualidade de vida e no final o que menos importa é o tipo físico. Kau Salentim de 22 anos diz acreditar que na verdade as mulheres não ligam muito para isso. Independentemente de ser “sarado, gordinho ou magrelo. É uma relação de química mesmo”, destaca.

“Eu não ligo se o cara é gordinho se ele for legal. E claro, tem que rolar alguma afinidade nos gostos para sair. Pra mim, não existe biotipo especifico pra me atrair,” conclui.

Veja também

Atriz usou o termo "ovelha negra" e acabou recebendo uma patada do apresentador

Últimas notícias