Geral

Alunos da rede pública e escoteiros participam da troca da Bandeira Nacional

Cerca de 700 crianças da rede pública de ensino do Distrito Federal (DF) e de seis grupos de escoteiros participaram hoje (2) da solenidade de troca da Bandeira Nacional, de acordo com a Marinha, organizadora do evento. A cerimônia ocorre sempre no primeiro domingo de cada mês, em sistema de rodízio entre as Forças Armadas […]

Arquivo Publicado em 02/12/2012, às 15h12

None

Cerca de 700 crianças da rede pública de ensino do Distrito Federal (DF) e de seis grupos de escoteiros participaram hoje (2) da solenidade de troca da Bandeira Nacional, de acordo com a Marinha, organizadora do evento.


A cerimônia ocorre sempre no primeiro domingo de cada mês, em sistema de rodízio entre as Forças Armadas e o governo do Distrito Federal. Desta vez, a promoção ficou por conta da Marinha.


A cerimônia tem como objetivo incentivar o patriotismo e atos cívicos. Hoje, uma área especial foi reservada para estudantes de escolas públicas de Santa Maria, do Varjão e do Gama, regiões do DF. Foram convidadas também crianças que participam de oficinas do Serviço Social da Indústria (Sesi), além de escoteiros.


“O hasteamento da bandeira é muito emocionante e é importante para a gente lembrar da importância da nossa pátria. Fica ainda mais emocionante acompanhado de um hino tão bonito como o nosso”, disse Alan Souza de Oliveira, 12 anos, estudante da Escola Classe do Varjão.


Foi a primeira vez que ele compareceu à cerimônia. Ao fundo, ouvia-se a música Asa Branca, de Luiz Gonzaga, tocada pela integrante do grupo Força no Esporte, Tainá de Jesus Conde, 13 anos, no saxofone. O grupo, que participa há cinco anos das cerimônias de hasteamento da bandeira promovidas pela Marinha, reúne crianças do Varjão e é organizado pelo Grupamento de Fuzileiros Navais.


“Eles nos buscam de segunda a sexta-feira no Varjão para ensaiarmos”, disse Tainá, que há seis meses estuda saxofone. A solenidade foi instituída pela Lei Federal 5.700, de 1º de setembro de 1971, cujo texto determina que a Bandeira Nacional esteja permanentemente no topo do mastro especial da Praça dos Três Poderes “como símbolo perene da pátria e sob a guarda do povo brasileiro”.


O evento é organizado em sistema de rodízio entre Exército, Marinha e Aeronáutica e o governo do Distrito Federal.

Jornal Midiamax