Vanderlei Luxemburgo continua sem vencer neste começo de sua terceira passagem pelo . Do banco de reservas da Neo Química Arena, o treinador viu seu time jogar uma partida razoável na noite desta segunda-feira e empatar por 1 a 1 com o . A equipe alvinegra saiu atrás e buscou o empate no fim da partida com Yuri Alberto, que acabou com a seca de nove partidas sem ir às redes.

Derrotado em duas das quatro rodadas do Brasileirão, o Corinthians não está mais na zona de rebaixamento, para onde foi empurrado o Flamengo. Tem quatro pontos e ocupa o 15º lugar. O Fortaleza, um clube organizado financeiramente e com um time ajustado e competente, briga no topo. Com oito pontos, é o quarto colocado, atrás apenas de Cruzeiro, e do líder Botafogo.

Em Itaquera, o Corinthians fez um primeiro tempo razoável e uma segunda etapa ruim. Encontrou dificuldade para penetrar na defesa do rival cearense e deu muitos espaços para um oponente eficiente e costumeiramente letal. Foi muito pressionado e, no fim, em desvantagem, conseguiu o empate na base da vontade.

Luxemburgo avisara em sua apresentação que usaria a base a fim de oxigenar um time muito pressionado, sobretudo as lideranças mais velhas. Ele cumpriu a promessa e deu chance para jovens como o meia Matheus Araújo e o atacante Pedro, ambos escolhidos para começar a partida.

Os dois, ao lado de Roger Guedes, foram os melhores corintianos na etapa inicial, marcada pelo equilíbrio. Mas os garotos do Corinthians não conseguiram vencer a forte defesa do Fortaleza, uma equipe com trabalho sólido do argentino Juan Pablo Vojvoda e que, justamente por isso, é mais ajustada e consciente do que tem de fazer em comparação com o time de Luxemburgo. Quem ficou mais de abrir ao placar nos primeiro 49 minutos foi o veterano Fagner, que acertou chute potente na trave.

Luxa fez mais mudanças, colocou o garoto Guilherme Biro em campo no segundo tempo, mas não viu resultado. Os jovens são talentosos, mas incapazes de reverterem, sozinhos, a situação do Corinthians, uma equipe desorganizada e com graves problemas de ordem tática, o que ficou claro na parte final do jogo.

O Fortaleza cresceu, encurralou o rival paulista em sua própria casa e criou três oportunidades até marcar. Primeiro, acertou o travessão, depois foi às redes, mas o gol foi anulado por impedimento. Até que Caio Alexandre acertou o canto de Cássio em arremate seco, de fora da área, concluindo bonita trama.

Ocorre que, aparentemente combalido, o Corinthians reagiu quando não pareceu que podia. Na base da insistência e da garra, os anfitriões chegaram ao empate com Yuri Alberto, que aproveitou falha da zaga do Fortaleza para empurrar para as redes e encerrar longo jejum, de noves jogos, sem marcar.

No fim, a partida ficou aberta, ambos criaram chances para sair de Itaquera vitoriosos, mas ninguém mais marcou.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 1 X 1 FORTALEZA

CORINTHIANS – Cássio; Fagner, Gil, Murillo e Fábio Santos (Matheus Bidu); Roni, Fausto Vera (Paulinho), Matheus Araújo (Yuri Alberto); Adson (Ángel Romero), Róger Guedes e Pedro (Guilherme Biro). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

FORTALEZA – Fernando Miguel; Tinga, Brítez, Titi e Bruno Pacheco; Caio Alexandre, Hércules (Yago Pikachu) e Lucas Sasha (Vinícius Zanocelo); Calebe (Pochettino), Moisés (Romarinho) e Thiago Galhardo (Romero). Técnico: Juan Pablo Vojvoda.

GOLS – Caio Alexandre, aos 33, e Yuri Alberto, aos 42 do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Bruno Pacheco, Fausto Vera e Murillo.

ÁRBITRO – Ramon Abatti Abel (SC).

PÚBLICO – 36.512 torcedores.

RENDA – R$ 2.128.014,50.

LOCAL – Neo Química Arena.