Em um jogo dramático e cheio de alternativas para as duas equipes, a seleção brasileira feminina se superou na disputa da Finalíssima. Ela arrancou um empate de 1 a 1 com a poderosa , com um gol nos acréscimos marcado pela Andressa Alves, mas acabou amargando o vice-campeonato do torneio na derrota por pênaltis por 4 a 2, na tarde desta quinta-feira (6) em Wembley.

Tamires e Rafaelle desperdiçaram para a seleção brasileira enquanto Tooney perdeu o seu tiro livre. Kelly, responsável pela última cobrança das inglesas, definiu o título em favor das europeias.

A Finalíssima é uma das iniciativas de intercâmbio firmadas entre Uefa e Conmebol para aproximar as entidades. Dessa forma, a campeã da mediu forças com a Inglaterra, vencedora da última edição da Eurocopa.

A Finalíssima foi um importante teste visando a disputa da Copa do Mundo de futebol feminino. O torneio será na e na Nova Zelândia.

O estádio de Wembley recebeu um bom público, superior a 83 mil torcedores. Um torcedor ilustre fez questão de comparecer ao estádio para incentivar a seleção brasileira. O atacante Richarlison, do Tottenham, que já tinha ido a um treinamento da seleção brasileira, marcou presença nas tribunas.

Superior no início, Inglaterra teve gol anulado na Finalíssima

Amplamente superior nos primeiros 45 minutos, a Inglaterra foi para o intervalo da Finalíssima com a vantagem de 1 a 0 com o gol marcado por Toonei. Porém, na etapa final, o Brasil cresceu com as mudanças da técnica Pia Sundhage e buscou o empate com Andressa Alves nos acréscimos.

A Inglaterra comandou as ações ofensivas desde o início do jogo e dificultou a saída de bola da seleção brasileira. Com rapidez na troca de passes e boa variação de jogadas, a seleção inglesa foi criando seguidas chances tendo como principal referência Lauren James e Hemp.

A melhor das oportunidades foi em um chute de Lucy Bronze, que bateu cruzado, e obrigou Lelê a uma difícil defesa. O Brasil incomodou em um bom lançamento feito por Tamires. Geyse escapou em velocidade, achou um espaço para o chute na pequena área. A bola desviou na zaga e foi para a linha de fundo.

Com mais volume de jogo, o gol saiu em uma bela trama das inglesas. Lucy Bronze iniciou a jogada pela direita. Então, Stanway chegou à linha de fundo com liberdade. O cruzamento rasteiro encontrou Toone sem marcação na área. Ela bateu firme e abriu o placar fazendo um golaço.

O Brasil esboçou reação em investida pela esquerda novamente com Tamires, mas os seguidos erros de passe seguiram atrapalhando o time da técnica Pia Sundhage. Aos 29 min a Inglaterra voltou a marcar, mas o gol de Lauren James acabou anulado por impedimento.

Pia mudou time e Brasil conseguiu o empate

O ritmo baixou, mas no final da primeira etapa da Finalíssima, Lelê precisou trabalhar em dois lances seguidos para evitar que a Inglaterra ampliasse. Primeiro em cabeçada de Hemp e depois com uma finalização de Alessia Russo.

Então, na volta para o segundo tempo, com Andressa Alves e Adriana na equipe, o Brasil passou a incomodar. Na melhor das chances, Geyse mandou uma bomba que a goleira Earps teve muita dificuldade para defender.

A Inglaterra sentiu o golpe e mudou a sua estratégia. Se antes, o time tinha o controle do jogo com a posse de bola, no segundo tempo as inglesas recuaram e passaram a apostar nos contra-ataques.

O Brasil botou pressão total no final da partida e passou a marcar no campo do adversário. A Inglaterra procurou administrar o tempo e passou a recorrer às faltas para travar a partida.

Nos acréscimos, no entanto, a estrela da técnica Pia brilhou. Em uma bola cruzada, a goleira Earps não segurou e Andressa Alves pegou a sobra para empatar aos 47 min e levar a disputa da Finalíssima para os pênaltis.

Assim, na cobranças, a Inglaterra mostrou mais sangue frio e acabou levando a melhor vencendo as brasileiras por 4 a 2.

A seleção brasileira disputa ainda um amistoso nesta terça-feira, às 13h (horário de Brasília) contra a Alemanha, em Nuremberg. O jogo é parte da preparação para a Copa do Mundo.