A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) condenou nesta segunda-feira (9) o uso da camisa da seleção nacional em atos antidemocráticos e de vandalismo. A

publicação da nota oficial ocorre um dia após a invasão e depredação das sedes dos Três Poderes da República em Brasília (DF), por extremistas apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro que vestiam a amarelinha. Os ataques danificaram o Palácio do Planalto, o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal.

“A CBF repudia veementemente que a nossa camisa seja usada em atos antidemocráticos e de vandalismo”, afirma a entidade em comunicado no Twitter.

O cálculo do prejuízo ao patrimônio público ainda não foi finalizado. Houve destruição de fachadas de vidro, móveis, relíquias históricas e documentos, além de furto de armas e de obras de artes, além de vandalização de quadros – como o painel de Di Cavalcanti – e vitrais.