Mato Grosso do Sul iniciou 2022 dando mostras que – em termos de pecuária – os negócios estão em elevação de ritmo de aquecimento. De acordo com pesquisa trimestral do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o abate de bovinos aumentou em 10,2% no primeiro trimestre deste ano, na comparação com o último trimestre de 2021.

No 1º trimestre deste ano, a quantidade de cabeças abatidas foi de 783.574 mil. Os números são confirmados nos pesos em quilogramas das carcaças, tendo sido registrados os seguintes valores: 202.988.588 quilos no 1º trimestre deste ano, contra 194.405.987 quilos do 4º trimestre do ano passado. Entretanto, quando comparado ao primeiro trimestre do ano passado, cujos números ficaram em 203.499.110 quilos, houve queda de 1,02%.

No Brasil, no 1º trimestre de 2022, foram abatidas 6,96 milhões de cabeças de bovinos sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária. Essa quantidade foi 5,5% superior à obtida no 1° trimestre de 2021 e manteve-se praticamente estável frente ao 4º trimestre de 2021. O abate de 361,75 mil cabeças de bovinos a mais no 1º trimestre de 2022 em relação ao mesmo período do ano anterior foi impulsionado por aumentos em 18 das 27 unidades da federação.

Os incrementos mais significativos ocorreram em São Paulo (+92,79 mil cabeças), Mato Grosso (+78,71 mil), Tocantins (+61,84 mil), Pará (+56,77 mil), Minas Gerais (+33,0 mil) e Goiás (+28,63 mil). Em contrapartida, as maiores variações negativas ocorreram no Rio Grande do Sul (-44,55 mil), Santa Catarina (-16,94 mil) e Acre (-6,82 mil). Mato Grosso continua liderando o abate de bovinos, com 16,1% da participação nacional, seguido por Mato Grosso do Sul (11,3%) e São Paulo (11%).