O dono do supermercado alvo de da Decon (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra Relações de Consumo), deflagrada na manhã desta quinta-feira (4), armazenava quase meia tonelada de carne vencida no açougue, localizado no Bairro Santa Mônica. Além da carne, a fiscalização no local apontou ausência de higiene adequada, produtos com moscas e sem autorização da inspeção municipal.

Os policiais, junto a fiscais do (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal do MS) e Procon (Agência de e Defesa dos Direitos dos Consumidores), localizaram irregularidades também na temperatura das câmeras frias, que estavam em desacordo com a legislação, e produtos com validade vencida. O local foi lacrado por falta de documentos da padaria e do açougue.

No açougue também havia 455 quilos de carnes, linguiças artesanais e frango podres, além de leite em pó vencido.

No dia 25 de abril, um açougue de um mercado no Bairro Aeroporto, também foi interditado. No local foram apreendidos 615 quilos de carne imprópria para consumo. O dono do local acabou preso em flagrante.

O estabelecimento também não tinha alvará de funcionamento e nem autorização para fracionamento de carnes. Foram encontradas linguiças artesanais e no andar de cima do mercado havia produção de charque.

O charque era produzido em local totalmente insalubre e as carnes estavam com moscas e bichos. O mercado também não tinha autorização para produção de linguiça artesanal.