No maior volume para o mês em oito anos, a produção de motos chegou a 137,3 mil unidades em outubro, marcando alta de 26,6% em relação ao número do mesmo período de 2021. Na comparação com setembro, que foi o segundo melhor mês do setor no ano, houve leve recuo de 1,6% na produção.

O balanço foi divulgado nesta quinta-feira, 10, pela Abraciclo, entidade que representa as montadoras de motocicletas instaladas no polo industrial de Manaus (AM). Não se via produção tão alta em outubro desde 2014, quando a indústria fabricou 144,6 mil motos no mesmo mês.

A previsão da Abraciclo, revista para cima no mês passado, é de crescimento de 18,8% da produção neste ano, o que, se confirmada, significará 1,4 milhão de motocicletas fabricadas nos doze meses. O setor se beneficia dos altos preços de carros e combustíveis, que estimulam a migração do consumidor a veículos mais baratos e econômicos, além da expansão dos serviços de entrega (delivery) na pandemia.

Apesar do crescimento da produção, a direção da Abraciclo informa que ainda existem filas de espera por scooters e motos de baixa cilindrada nas concessionárias. Em outubro, as vendas, de 120,3 mil motos, ficaram 24% acima do mesmo mês do ano passado.

Desde janeiro, 1,2 milhão de motos foram produzidas em Manaus, onde está concentrada quase toda a produção do País, um volume 19,3% superior ao registrado no mesmo período de 2021. Também é o melhor resultado para os dez primeiros meses do ano desde 2014