Após 6 mil redações zeradas e uma onda de indignação nas redes sociais, candidatos ao vestibular da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) seguem sem respostas. O prazo para recorrer ao resultado preliminar encerrou no último domingo (14), contudo, candidatos afirmam não ter conseguido ao menos entrar em contato com a Fapec (Fundação de Apoio à Pesquisa, ao Ensino e à Cultura).

Uma candidata, que teve a redação zerada, relata que tentou contato com a Fapec por todos os meios de comunicação para solicitar esclarecimentos, mas não obteve resposta.

“Nenhum canal que disponibilizaram me atendeu, tentei desde sábado (13). Cheguei a ir até a Fapec e nada. Eles não podem brincar assim com o futuro das pessoas”, disse a mãe da candidata.

Segundo a mãe, caso não consiga recorrer à nota, pretende entrar na justiça contra a banca organizadora.

“Hoje consegui falar com uma pessoa da Fapec, minha filha mandou o recurso. Mas fui informada que eles não podem fazer nada. Minha filha sempre foi uma aluna que notas máximas em redação. Acho bem pouco provável ter zerado justo essa, por isso vou lutar”, diz.

‘Não tiveram nem acesso à nota'

Nas redes sociais, o professor de história Henry Guimarães tem auxiliado candidatos que tiveram a redação zerada e demais problemas com o vestibular. Segundo ele, após o do prazo, vários alunos entraram em contato relatando que não conseguiram interpor o recurso.

“Alguns alunos me mandaram mensagem falando que não tiveram acesso e nem resposta, o que impossibilitou entrar com recurso”, disse.

De acordo com ele, outro aluno precisou ir até a Fapec e só teve acesso à nota após o pai ‘fazer um barraco'. “A nota apareceu, mas colocaram que ele tirou 100 e tangenciou o tema”, ressalta o professor.

Segundo o professor, além de não esclarecer as demandas dos candidatos, a Fapec não abriu a possibilidade de um recurso administrativo para analisar os problemas.

“O aluno poderia entrar com medida judicial. Porém, até isso correr na justiça o processo do vestibular já terminou. E a banca pode colocar que ele tirou 100 e de nada serviria”, lamenta.

Redações zeradas

UFMS
Campus da UFMS (Arquivo Midiamax)

Sob protestos e alegações de inconsistência, candidatos que realizaram o vestibular da UFMS contestaram o resultado preliminar das provas divulgado na última quinta-feira (11). Os resultados indicam que 6.032 redações, cerca de 50% dos candidatos que realizaram a prova presencial, obtiveram nota 100, ou seja, tiveram a redação zerada.

Diante dos inúmeros questionamentos e da movimentação nas redes sociais, a Fapec alegou que o alto número de redações zeradas e notas baixas se deve ao não cumprimento dos requisitos básicos exigidos para a elaboração da redação.

“Essas notas deve-se ao não cumprimento ou cumprimento parcial, dos cinco critérios básicos para a redação, os quais são: adequação temática; organização e progressão textual; estrutura e desenvolvimento do texto dissertativo-argumentativo; aspectos de coesão e coerência do texto; e emprego da norma padrão da Língua Portuguesa”, disse.

Segundo a instituição, a adequação temática é um dos principais quesitos para a avaliação. No caso de ao tema, por exemplo, o texto não é considerado pela banca avaliadora, e o candidato recebe a nota padrão de 100 pontos.

Candidatos questionam correção

Em um comentário nas redes sociais, um candidato questiona a discrepância entre as redações zeradas na prova presencial e na prova realizada de forma online. Enquanto a primeira teve mais de 6 mil redações zeradas de um total de 12 mil candidatos, a avaliação online registrou cerca de 60 notas 100, dentre os 3 mil inscritos.

“Como mais de 6 mil pessoas tiram nota 100 em uma redação? Mais de 1/3 da prova não sabe escrever segundo as correções, não é? Não se cansam de prejudicar os alunos nunca? #forafapec #mudafapec”, comentou.

Protesto contra a Fapec
Protesto contra a Fapec (Arquivo Midiamax)

Vale destacar que o tema da redação varia conforme a modalidade de prova escolhia pelo candidato. Na prova on-line os participantes discorreram sobre tema ‘Filtros em redes sociais: regulamentar o uso ou conscientizar a população sobre os malefícios que eles podem gerar?' Já a prova presencial teve a redação com o tema ‘O Direito às artes como direito à condição humana'.

Cerca de 12 mil candidatos realizaram a avaliação presencial, enquanto mais de 3 mil optaram pela prova em formato virtual.

Dos 14.701 inscritos na prova escrita, 2.125 (14,46%) não compareceram nas salas durante a aplicação do certame. O número de ausências entre os 4.130 estudantes que optaram pela prova virtual chegou a 1.046 (25,33%).

Alunos pagaram até R$ 300 a professores para recurso

Candidatos relatam que tiveram seu sonho interrompido (Arquivo Midiamax)

Frustrados com os resultados preliminares, estudantes recorreram a professores para elaborar o recurso. Com o prazo curto, os professores ficaram lotados de demandas e cobram em torno de R$ 300 por cada recurso a ser feito.

O professor Marcio Roberto da Silva Sobrinho disse que apenas na sexta-feira (12) foi procurado por quatro estudantes para elaborar o recurso da redação do vestibular da UFMS. “Já fiz recursos da UEMS e, dos quatro que fiz, obtive sucesso em dois. Há chances de reverter”, afirma.

O recurso inclui analisar o texto e comprovar com dados técnicos de que houve falha da banca na correção da redação. “É necessário refletir sobre a teoria, o texto do aluno e criar uma dúvida plausível para contestar o resultado dado pela banca”, diz o professor, que R$ 300 por recurso.

O Jornal Midiamax entrou em contato com Fapec para solicitar o número de recursos interposto, mas não obteve retorno.