Serviços de recuperação dos danos causados pelo temporal que devastou , a 417 quilômetros de Campo Grande, foram retomados nesta quinta-feira (14). A prefeitura estima um prejuízo de R$ 3,7 milhões em decorrência do rastro de destruição que matou uma criança de 7 anos.

Segundo a assessoria de imprensa, cerca de 50 pessoas auxiliam no rescaldo em ruas da cidade. O valor estimado para recuperação deve passar por atualização no início da tarde. O município deve solicitar apoio em recursos do Governo do Estado ou Federal.

O Corpo de atendeu, na quarta-feira (13), 19 ocorrências, entre corte de árvores e vistorias. Cerca de cinco aguardam poda por ter risco durante os trabalhos, já que os galhos atingiram a fiação elétrica e ainda estão energizadas, além da umidade na árvore e ausência do proprietário no local.

Entre os moradores mais prejudicados, pelo menos 17 apartamentos do Jatobazinho, conjunto habitacional com 25 blocos e que foi o mais atingido pelo temporal, sofreram algum dano material, como destelhamento. A está fazendo o levantamento dos prejuízos para posterior auxílio na reconstrução.

Além da prefeitura e Corpo de Bombeiros, a Defesa Civil Municipal e Estadual, prefeitura de Ladário, o Prevfogo/Ibama e a Energisa também participam dos esforços de restabelecimento da normalidade nos diversos pontos críticos dos municípios de Corumbá e Ladário.

Enterro comoveu Corumbá

Centenas de pessoas compareceram ao velório e enterro de Matheus Souza Marques, 7 anos, nesta quarta-feira (13), em Corumbá. O clima de tristeza e revolta tomou conta do Santa Cruz e uma parente da criança desmaiou no momento do enterro.

mãe do pequeno Matheus passou o tempo todo chorando e em visível desespero, sendo amparada pelos familiares. Uma mulher, parente deles, desmaiou no momento do enterro e precisou ser carregada por dois homens até receber atendimento médico.

O tempo encoberto no céu refletia a tristeza no olhar das pessoas, desesperadas com a situação. Primo de Matheus, o militar Luiz Felipe, 21, falou com o Jornal Midiamax e disse que a família não aceita a morte do pequeno.