O vereador de Água Clara, Marcelo Batista de Araújo (PSD), afirmou em entrevista ao Midiamax, nesta terça-feira (14), que não se lembra de ter agredido uma mulher em uma briga generalizada na 10ª Festa das Nações em Água Clara, no último fim de semana. 

“Eu não lembro, foi uma coisa muito rápida […] Para a pessoa acusar tem que ter provas. Eu coloco à disposição o meu mandato, peço pra abrir uma CPI [Comissão Parlamentar de Inquérito] para apurar e apresentar provas porque tenho que ser julgado por uma coisa que eu fiz e não por uma coisa prematura”, afirmou Araújo ao Midiamax

O parlamentar é acusado de ter batido na cunhada do secretário de saúde de Água Clara, Alex de Oliveira. O evento ocorreu entre a noite de sexta (10) e a madrugada de sábado (11). Araújo diz que não conhece a vítima que o acusa pela agressão. 

Relembre: Festa das Nações em Água Clara termina em briga envolvendo vereador, filho e secretário

A situação foi levada para a sessão da Câmara Municipal, na noite da última segunda-feira (13), e virou pauta de protestos de moradores com cartazes que pediam providências. 

“Estão me acusando de um crime que eu não cometi, eu não teria coragem de sair de casa e ir bater em uma mulher”, disse Araújo durante a sessão ordinária.

Depois, ao fundo, ouve-se uma voz que parece feminina, dizendo: “é um direito meu vir aqui falar” sendo interrompida por outras falas e acrescentando, em seguida, “quem levou um murro na cara fui eu”. Em seguida, ela é interrompida novamente por outras vozes e a sessão é encerrada antecipadamente.

Duas brigas

Conforme relatado pelo vereador e o registro do boletim de ocorrência, ele foi para a Festa das Nações de Água Clara acompanhado da esposa e do filho de 17 anos. Em um momento do evento, o filho teria se aproximado do palco fumando, o que teria incomodado o secretário de saúde, Alex de Oliveira. 

O titular da pasta teria proferido palavrões para o jovem.O adolescente teria informado ao pai o que aconteceu e depois voltou ao mesmo local. Momento em que o vereador foi atrás preocupado com a situação.

Ainda conforme relato do vereador, ele procurou policiais contando sobre o ocorrido e retornou para a festa. Depois percebeu uma aglomeração e, ao se aproximar, visualizou que era seu filho que estava cercado de pessoas, não sabendo dizer quantas. 

VÍDEO: Vereador de Água Clara é acusado de agredir mulher, mas nega em sessão da Câmara

Segundo o parlamentar, essa foi a primeira briga daquela noite e que é mostrada no vídeo que circulou pelas redes sociais. Nas imagens, é possível ver o filho do vereador com camisa branca e colete preto no meio da confusão. A mulher loira que se desequilibra em uma fita é a esposa do parlamentar. Araújo aparece no outro canto do vídeo. 

Após esse episódio, a família foi em direção à caminhonete no estacionamento para ir embora quando outra briga começou. Nesta segunda confusão é que teria acontecido a agressão contra a mulher, mas o momento não foi registrado em vídeo. 

Segundo o parlamentar, as duas brigas teriam sido iniciadas por Alex de Oliveira ou por familiares do secretário. 

Secretário nega provocação

O Midiamax também entrou em contato com o secretário de saúde para que possa dar sua versão do episódio. Ele nega que tenha xingado o filho do vereador no momento em que estava fumando próximo ao camarote, mas admite que tenha chamado a atenção do jovem. 

“Isso que ele cita foi bem antes de começar o show, ele estava fumando e jogando cigarro na outra secretária e na minha esposa. Eu pedi para ele parar e ficou bravo, mas não falou nada para mim”, conta. 

Horas após o fim do show, em um momento que estaria sozinho na festa, Alex afirma que teria sido atacado pelas costas por quatro pessoas, incluindo pelo filho do vereador. “Nisso acabei cortando a minha cabeça e fui para a ambulância”. 

Após isso, um cunhado de Alex que o estaria procurando encontrou com a família do vereador no estacionamento. Nesse momento aconteceu a segunda briga e a agressão contra a mulher, que também é cunhada de Alex.

Conforme o secretário, ela teria sido atingida com um soco na boca pelo vereador. A cunhada passou por um raio-x na e depois foi encaminhada para uma tomografia em Três Lagoas, em que teria detectado uma fissura. 

“Em momento nenhum houve discussão de bate boca, de xingar o menino e nem nada […] eles já tinham armado tudo, ninguém vem bater no outro sem motivo, acredito que isso ai está sendo desculpa, acredito que foram para a festa para caçar confusão”, acredita o secretário. 

Ele também teria registrado boletim de ocorrência sobre o que aconteceu na festa. Apesar de não ter vídeo do momento da agressão contra a mulher, afirma que duas pessoas testemunharam a cena.

Fale com o Midiamax

Tem alguma denúncia, flagrante, reclamação ou sugestão de pauta para o Jornal Midiamax? Envie direto para nossos jornalistas pelo WhatsApp (67) 99207-4330. Acima de tudo, com sigilo garantido por lei.

Acompanhe nossas atualizações no Facebook, Instagram e Tiktok.