Boa parte do Brasil enfrenta uma onda de calor e todo o Mato Grosso do Sul está incluso em alerta do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) para a elevação das temperaturas máximas em até 5°C.

O alerta de cor laranja tem grau de perigo, o segundo pior entre os alertas emitidos pelo instituto. Todos os municípios do Mato Grosso do Sul estão inclusos na área de alerta, além de todo o estado de São Paulo, parte norte do Paraná, sul e sudeste do Mato Grosso e oeste de Goiânia.

O calor é causado por um bloqueio atmosférico e há possibilidade de recorde de calor nos próximos dias. Os termômetros podem chegar a marca de 43°C.

Alerta de baixa umidade do ar

A defesa civil emitiu um alerta de baixa umidade relativa do ar, no início da tarde desta segunda-feira (18) e com validade até o domingo (24). De acordo com a defesa civil, é preciso estar alerta para a umidade relativa do ar.

Manter-se hidratado, evitar exercícios físicos entre as 10h e as 16h, são recomendações para a população nestes dias. Em caso de emergência, ligue 199 ou 193.

De acordo com o Cemtec/MS, no domingo (17), Amambai teve mínima de 18%, bem como Paranaíba. Em Sonora, a umidade ficou em 19% e em Três Lagoas em 20%.

El Niño influencia no aumento das temperaturas

Os modelos do monitoramento mostram que Mato Grosso do Sul deve enfrentar um trimestre (setembro a dezembro) com temperaturas mais quentes que o normal, entre 40 e 43°C.

O El Niño é considerado um fenômeno de aquecimento das águas superficiais do Pacífico, por isso, possui uma condição menos previsível para o Estado. Entretanto, a tendência geral é de aumento das chuvas e padrões de temperaturas mais elevados.

De acordo com o Cemtec, o calor extremo se deve à atuação de um bloqueio atmosférico, aliado à atuação do El Niño.

Ainda conforme a previsão, a região do Pantanal é onde ocorrerão as maiores temperaturas durante a onda de calor. Segundo autoridades, em relação à saúde, é necessária muita hidratação e cuidados com a exposição ao sol.