Lá por volta de 2021, quando uma gigante da celulose iniciou as obras de mais uma fábrica, em , a especulação era de que a cidade localizada a 97 km de seria um epicentro na geração de empregos em Mato Grosso do Sul.

Passados cerca de dois anos do lançamento da pedra fundamental, a previsão de geração de se manteve e Ribas do Rio Pardo tornou-se canteiro de obras também dentro da cidade. A localidade atrai gente dos quatro cantos do país e, nos últimos anos, teve a estrutura receptiva incrementada, com a construção de pousadas, hotéis, mercados, restaurantes e afins.

Não é à toa, portanto, que a do 1º de Maio, data em que o é celebrado, tenha “feito as malas e pego a estrada” para a cidade. Com o lema “Emprego, Renda, Direitos e Democracia”, o evento será realizado no Ginásio Municipal de Ribas do Rio Pardo, voltado a todos os trabalhadores e aberto à comunidade. Só de visitantes, a expectativa é que cerca de mil pessoas cheguem à cidade.

A celebração realizada em sinergia pela CUT-MS (Central Única do Trabalhador), UGT (União Geral dos Trabalhadores) e Sinticop-MS (Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Pesada do MS), com apoio de várias outras entidades, como a Prefeitura de Ribas, MPT (Ministério Público do Trabalho) e o MTE (Ministério do Trabalho e Emprego), será unificada, com programação que tem início às 7h da manhã do feriado.

“Ribas simboliza a geração de emprego, é o local onde estão, neste momento, o maior número de oportunidades. Por isso, estamos pela primeira vez indo até lá, unificando a celebração por lá, para assistir esses trabalhadores”, detalha ao Jornal Midiamax Dilma Gomes da Silva, secretária geral da CUT-MS.

Foto: CUT | Divulgação

Ribas do Rio Pardo

Novo polo de geração de empregos, Ribas do Rio Pardo chegou ao pico de geração de 10 mil empregos no mês passado. No relatório do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) de março, mais de 1/4 das 4.669 vagas geradas em Mato Grosso do Sul (26,5%) foram do município.

Placa indica caminho para canteiro de obras da Suzano Foto: Leonardo de França | Arquivo Midiamax

O número é reflexo do andamento das obras da planta industrial da Suzano, na fase de montagem eletromecânica, que após concluída e inaugurada – no segundo semestre de 2024 – deve deixar legado de 3 mil vagas de empregos diretos e indiretos.

Atualmente, no setor florestal que irá atender à Unidade de Ribas, conforme dados de janeiro, a indústria emprega 1.089 profissionais permanentes, dos quais 37% são de Ribas do Rio Pardo, o que representa 404 colaboradores.

Além desses, pelo menos até março, quase mil profissionais permanentes já foram contratados para atender às operações da nova fábrica, sendo 402 (40,8%) de Ribas e região.