Escolas de Dourados, Caarapó e Ponta Porã recebem intervenções e melhorias, como instalação de novos espaços, desde horta a brinquedoteca. A mudança foi possível por um projeto de parceria público-privada.

Serão beneficiados pelo projeto a Escola Municipal Agrotécnica Padre André Capelli, em Dourados, Escola Municipal Indígena Nãndejara Polo, em Caarapó e a Escola Polo Municipal Rural Graça de Deus, em Ponta Porã.

Segundo o Cuidare, as intervenções beneficiarão cerca de 544 estudantes que vão desde a Educação Infantil até o Ensino Fundamental I e II nas quatro escolas do Estado. A reforma foi patrocinada pela Nutrien Soluções Agrícolas.

“O objetivo é proporcionar conquistas pedagógicas e melhorias na estrutura física dos estabelecimentos educacionais e, assim, contribuir para alavancar os indicadores de qualidade da educação municipal. Tudo começa com um período de identificação das necessidades de cada escola juntamente com a comunidade escolar”, descreve a instituição.

A Escola Municipal Agrotécnica Padre André Capelli, em Dourados, recebeu uma sala de leitura, uma nova estufa, que servirá como sala de aula e para a produção de hortaliças e vão ajudar na alimentação dos estudantes, materiais esportivos, dois liquidificadores e dois freezers industriais, além de conjuntos de bancos e mesas de concreto na área externa. As entregas vão beneficiar 144 estudantes.

“Fomos contemplados com dois liquidificadores industriais e dois freezers, já que temos duas cozinhas, então esses equipamentos chegam para substituir os antigos que já estavam em precárias condições de uso. Outro bem proporcionado à escola são bancos e mesas de concreto no pátio para dar um melhor conforto aos alunos. A nova horta serve de aula prática para eles, onde podem participar de todo o processo desde a confecção do canteiro, o plantio das mudas, o manejo da cultura, a colheita até o preparo do alimento. Por fim, a nossa pequena e antiga biblioteca ganhou mobílias novas e mais de quatrocentas literaturas, o que vai auxiliar à molecada daqui que gosta de ler e pesquisar”, declara Josimar Crespan, gestor da EM Agrotécnica Padre André Capelli, em Dourados.

biblioteca
Brinquedoteca em Dourados (Divulgação Cuidare)

Em Caarapó, a Escola Municipal Indígena Nãndejara Polo, foi contemplada com um novo parquinho, uma sala de leitura, horta suspensa e uma roçadeira que vai ajudar na manutenção da área externa da escola, que atende 220 estudantes.

“A gente tinha um parquinho, porém eram brinquedos doados e bem simples, então o novo parquinho vai fazer a diversão das crianças na hora do intervalo. Temos um espaço chamado Campo Experimental onde trabalhamos com horta, pomar, e criação de animais, além de um projeto chamado Sabor da Terra, em que fazemos uma exposição de culinária com receitas tradicionais e de fora, mas que são feitas com a produção da aldeia, como mandioca, batata, abóbora e milho. O modelo novo de horta suspensa vai ser uma forma inovadora de mostrar para os alunos como manejar a terra e cultivar hortaliças, que servirão como merenda e como uma maneira pedagógica de conscientizar sobre alimentação saudável”, relata o diretor da EMI Nãndejara Polo, em Caarapó, Lídio Cavanha Ramires.

A Escola Polo Municipal Rural Graça de Deus, em Ponta Porã, recebe o projeto Escola Transforma nesta terça-feira. A escola será contemplada com um parquinho, horta suspensa, brinquedoteca e materiais esportivos. O projeto vai beneficiar 180 alunos.

“Enquanto educadora, é um sonho que se torna realidade e que vai refletir na vida dessas crianças, que são em sua maioria humildes, de uma comunidade indígena, que às vezes nunca tiveram acesso a uma brinquedoteca e a um parquinho. Elas são merecedoras, pois acordam de madrugada para pegar o ônibus escolar e enfrentam quilômetros e quilômetros de estrada para chegarem às 7h na escola, que antes não tinha esse espaço de lazer. São muitas rugosidades geográficas para essa criança conseguir frequentar as aulas, então a instalação do projeto é muito gratificante para toda a comunidade”, comenta a diretora da Escola Polo Municipal Rural, em Ponta Porã, Graça de Deus, Valdelice Pereira da Silva.

“Continuamos mais um ano com o compromisso de fortalecer a educação. Acreditamos que o Projeto Escola Transforma vem proporcionando melhorias dentro das escolas nas cidades que atuamos, além de apoiar na qualificação pedagógica para que gerem impactos positivos no desenvolvimento das crianças e dos adolescentes dessas comunidades. Em 2023, estamos presentes em 30 cidades com mais de 55 escolas no projeto, e estamos levando voluntariado para contribuir ainda mais nas ações que estamos realizando. Esse ano, nosso foco está em escolas rurais, pois acreditamos que o impacto que iremos causar será ainda maior nessas comunidades”, explica a gerente de sustentabilidade e responsabilidade social da Nutrien na América Latina, Rita Moreno.

O projeto Escola Transforma nasceu em 2021 e, neste ano de 2023, dedica sua atenção às populações rurais. As unidades são pautadas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que são um apelo global construído pela ONU e seus parceiros em prol da Agenda 2030 para geração de impacto social e garantia de um futuro melhor e mais sustentável para todos.