O crescimento da pesca esportiva em , cidade localizada a 417 km de , tem gerado cerca de mil empregos. Além de injetam mais de R$ 40 milhões na economia, somente em folha de pagamento. Sem contar o giro financeiro em toda a cadeia do turismo, segundo a ACERT (Associação Corumbaense das Empresas Regionais de Turismo).

Na última quinta-feira (19), representantes da associação estiveram reunidos com o governador para apresentar algumas solicitações para que o fortalecimento da esportiva.

Na oportunidade, o presidente da entidade, Luiz Antônio Martins, e o empresário associado Ademilson Esquivel reivindicaram ao governador a restauração da rodovia BR-262, no trecho entre e Corumbá.

Além da busca por captação de mais voos para a Capital do , conectando-a com Campo Grande e os principais destinos emissores de turistas.

Transporte Zero

Em defesa do pesque e solte e, consequentemente, do transporte zero de pescado somente para os pescadores esportivos, os representantes da entidade relataram ao governador que o Pantanal de Corumbá foi a porta de entrada para a estruturação do turismo de pesca em Mato Grosso do Sul.

Com isso reivindicaram, a inclusão do transporte zero (proibição da captura, comercialização e transporte de peixes dos rios do Pantanal de Mato Grosso do Sul) para a pescador esportivo – o turista, visando a proteção do estoque pesqueiro e a sustentabilidade do meio ambiente.