No dia 11 de outubro de 1977, o então presidente Ernesto Geisel sancionava Lei Complementar que criava o Estado de Mato Grosso do Sul. O que nem todo mundo sabe é que, efetivamente, a implantação do Estado aconteceu apenas em janeiro de 1979, com a instalação do Governo do novo Estado.

Foi a data de 1º de janeiro de 1979, a propósito, que simbolizou o corte definitivo do vínculo com a administração mato-grossense. Mas afinal, Mato Grosso do Sul completa 44 ou 46 anos? 

Vamos por partes. Historiador e coordenador do Arquivo Público Estadual de Mato Grosso do Sul, Douglas Alves da Silva lembra que o movimento que defendia desmembrar a área sul de Mato Grosso já existia desde os primeiros anos do Brasil República.

“Logo após a proclamação já existiam essas movimentações, mas ainda eram tímidas. Com o tempo, isso foi ganhando força e ações mais efetivas”, detalha. 

Posse do governador Harry Amorim (Foto: Arquivo/Alems)

Com o passar dos anos, a ideia entrou no campo prático das discussões, marcada pelo surgimento da liga divisionista, incorporada por nomes famosos e que somaram esforços à proposta de criação de um novo estado. Aliado a isso, existia o desejo de tirar de Cuiabá o posto de capital. 

“Existia a vontade de transferir a capital para a região sul, até Corumbá esteve entre as opções. Depois, com a chegada dos trilhos, Campo Grande teve um importante crescimento e intercâmbio de outras frentes migratórias. Com isso, elites começaram a vir morar na cidade e trouxeram, inclusive, mudanças nos tipos de residências que existiam na pequena vila de Campo Grande”, explica. 

Por força de uma ‘canetada’ do Governo Federal, chefiado por militares à época, criou-se, no papel, o Estado de Mato Grosso do Sul. 

“Faço saber que o decreta e eu sanciono a seguinte Lei Complementar. É criado o Estado de Mato Grosso do Sul pelo desmembramento de área do Estado de Mato Grosso”, diz o documento datado de 11 de outubro de 1977, assinado pelo presidente Ernesto Geisel.

A Transição 

Foi criado, mas demorou 1 ano e quatro meses para “sair efetivamente do papel”. Assim, o período de transição foi o grande responsável pela espera.

“Esse foi o período de organização, onde foram feitos concursos para definir os símbolos pátrios como hino, bandeira e brasão de armas. Na época, mais de mil inscrições foram apresentadas e as escolhas foram publicadas na primeira edição do diário oficial”, relembra o historiador Douglas Alves.

Até que os arranjos administrativos fossem definidos, o já criado Mato Grosso do Sul continuou a depender da gestão mato-grossense. “As instituições precisavam existir efetivamente e até que isso acontecesse, existia uma dependência. Não havia uma de Mato Grosso do Sul, por exemplo”, pontua Douglas. 

Deputados constituintes, eleitos em 1978 (Foto: Arquivo/Alems)

Na Rua Fernando Corrêa da Costa, no prédio onde hoje fica a Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, funcionou o escritório de transição dos estados, mais tarde, a primeira sede do Governo de Mato Grosso do Sul. 

“Aquele prédio seria uma espécie de Prático, um braço de Cuiabá em Campo Grande. Após a transição, virou a sede temporária do Governo. Saiu de lá quando o governador Pedro Pedrossian levou a governadoria para o Parque dos Poderes”, relata. 

Finalmente, em 1º de janeiro de 1979, Harry Amorim Costa, indicado governador do Estado pelos militares, assinou o decreto número 1 de Mato Grosso do Sul, estabelecendo a organização básica do Estado.

“Depois houve a criação da Assembleia Constituinte, integrada por nomes como Londres Machado, Ramez Tebet, Ary Rigo e Roberto Orro. Na sequência, o Estado foi se organizando até se tornar o que é hoje”, finaliza.

Assim, Mato Grosso do Sul terá no próximo dia 11 de outubro 46 anos de criação. Mas que saiu do papel, bem, aí a conta dá 44 – o que não é tão importante, já que é a data de criação que é levada em consideração.

Se for comemorar o aniversário na quarta, já sabe… Lembre-se que as velinhas são de 46 anos.

E você, o que sabe sobre a criação de MS

Embora recente, a história da criação de Mato Grosso do Sul passa, muitas vezes, despercebida por muitos moradores, desde os mais jovens até entre os que acompanharam processos históricos da região. O Jornal Midiamax foi até o Centro de Campo Grande para saber o que as pessoas sabem ou se lembram sobre a de Mato Grosso e criação de Mato Grosso do Sul.

Entre diversas recusas de comentar sobre o assunto, algumas das pessoas abordadas assumiram a falta de conhecimento sobre a separação dos estados. “Estou por fora disso aí, não sou tão atento a isso porque trabalho muito”, comentou um jovem.

Entre os idosos, que estavam aqui quando tudo aconteceu, as lembranças também são poucas. “Não lembro muito bem”, comentou a aposentada Eva Aparecida, de 70 anos. 

Israel Carlos, de 37 anos, arriscou. “Não sei muita coisa não, sei que o Mato Grosso era muito grande e resolveram dividir, ouvi dizer que foi por política”, afirmou.

Confira o vídeo com as entrevistas:

Saiba Mais