Procon municipal de Campo Grande encontra variação de até 217% no preço de testes para Covid-19 e H3N2

Pesquisa foi realizada em 18 estabelecimentos comerciais da Capital
| 24/02/2022
- 19:04
Fachada do Procon Municipal
Fachada do Procon Municipal - (Foto: Divulgação / Procon Campo Grande)

O Municipal de Campo Grande encontrou variação de até 217% no preço de testes para Covid-19 e H3N2, durante uma pesquisa de preços em 18 estabelecimentos comerciais da Capital. Sendo 5 farmácias, 10 laboratórios e 3 hospitais com quatro tipos de exames para o coronavírus: PCR, Sorologia (igGe igM), teste rápido e o teste para H3N2.

Segundo o último boletim epidemiológico da (Secretaria Municipal de Saúde), nos dois primeiros meses deste ano, o número de casos de Influenza na cidade já superou o registrado em todo o ano de 2021. Em consequência, houve um aumento pela procura por testes da Covid-19 na cidade.

De acordo com a pesquisa, a maior variação encontrada foi no exame de PCR, com 217% de alteração no valor, o maior preço detectado foi de R$ 380,00 nos laboratórios “Analisa Diagnósticos” e “Labclin” e o menor preço foi R$ 120,00 na “Drogasil”.

Outra variação significativa foi a do exame sorológico para Covid-19, com 200% de alteração, sendo o maior valor de R$ 300,00 nos laboratórios: “DNA Laboratório Labneo”, “Labclin – Laboratório de Análises Clinicas”, “Labminei – Laboratório de Patologia Clínica” e “Sabin Medicina Diagnóstica” e, o menor valor,  R$ 100,00 na “Attive Pharma” e “Farma +”.

No teste rápido foi identificado uma variação de 183%. O maior preço encontrado foi de R$ 280,00 no “Labclin – Laboratório de Análises Clínicas” e o menor preço verificado foi na farmácia “Pague Menos”, registrado em R$ 99,00.

Já no exame de Influenza H3N2/A e B foi constatada uma modificação de 43% nos valores. O maior valor registrado para o teste foi de R$ 200,00 no “Proncor” e o menor custo foi de R$ 140,00 nos laboratórios: “LBD – Laboratório Bio Diagnostic” e “Ultramedical – Centro de Diagnóstico em Medicina”.

Testes podem ser declarados no imposto de renda

O subsecretário do Procon, Cleiton Thiago, explica que o consumidor pode declarar o teste como despesa de saúde na declaração do imposto de renda de 2022. “Todos os exames realizados no ano passado em hospitais, laboratórios e clínicas, devidamente comprovados por nota fiscal, no qual conste o CPF do contribuinte e de seus dependentes, poderão ser lançados na declaração do imposto de renda deste ano como despesa médica — dedutíveis somente no modelo completo — e permitem reduzir o imposto a pagar ou aumentar a restituição. Já os testes realizados neste ano poderão ser declarados no imposto de renda de 2023″, orienta o subsecretário.

Para acompanhar a pesquisa completa, clique no link: http://www.campogrande.ms.gov.br/procon/downloads/planilha-de-preco-de-teste-de-covid-19-e-h3n4/

Veja também

Aumento foi apurado conforme inflação do mês de maio

Últimas notícias