Infectado por Covid, servidor denuncia suposto surto em escola estadual, mas SED-MS nega

Servidor alega que passou Covid até para mãe que é idosa
| 09/05/2022
- 12:22
Infectado por Covid, servidor denuncia suposto surto em escola estadual, mas SED-MS nega
(Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)

Um suposto surto de Covid-19 está preocupando servidores e alunos da Estadual Maria Contança de Barros Machado, na região central de Campo Grande. Segundo um servidor, que está infectado, há pelo menos oito alunos e seis servidores entre professores e funcionários do administrativo diagnosticados com a doença.

Esse servidor em questão está afastado e, inclusive, alega que passou covid para , que é idosa. "Minha mãe não sai de casa, nem recebe visitas e eu moro com ela. Quando aconteceu de eu ter contato com ela e fui diagnosticado, ela fez exame e deu positivo".

Ainda segundo este servidor, ele foi aconselhado pela direção da escola para que, em caso de suspeita, que fosse feito o teste e em seguida um médico fosse procurado para concessão de atestado médico, como no caso dele.

O servidor também contou que a direção da escola chegou a consultar a Coordenadoria de Gestão de Educação, ligada à SED (Secretaria de Estado de Educação), e que essa respondeu não ser possível suspender as aulas por não existir amparo legal para tal medida.

O Jornal Midiamax conversou por telefone com a secretária de Educação, Maria Cecilia Amendola da Motta, que negou o suposto surto.

A reportagem também tentou contato duas vezes com a direção da escola, sendo uma por telefone e outra pessoalmente. Na primeira ocasião, o diretor disse que estava em reunião e, na segunda, informou que estava fora da instituição.

O diretor-adjunto atendeu brevemente a reportagem pessoalmente, mas apenas para informar que não poderia se posicionar sobre o assunto.

Comunicação interna

Uma CI (Comunicação Interna) também está sendo usada pelos servidores para reforçar a situação na escola. Na CI em questão, a SED pede para que os servidores fiquem atentos ao preenchimento correto dos atestados médicos, principalmente ao item C do Art. 53, do Decreto nº 15.855, de 11/1/2022 que fala sobre "conduta terapêutica e o prognóstico".

Também questionada sobre a CI, a secretária Maria Cecília disse que o documento nada tem a ver com o suposto surto e é um comunicado simples para evitar problemas na perícia médica.

Veja também

Lei federal determina devolução de tributos cobrados a mais dos consumidores

Últimas notícias