As garagens das empresas de ônibus de Campo Grande amanheceram fechadas, na manhã desta terça-feira (21), por conta da greve deflagrada pelo sindicato da categoria. Na garagem da Viação Campo Grande, no bairro Ana Maria do Couto, apenas alguns funcionários do administrativo estavam no local. Já na Viação São Francisco, na avenida Euler de Azevedo, apenas funcionários da manutenção, que também foram dispensados, ainda estavam no local por volta das 8 horas.

Segundo informações, os motoristas do serviço de transporte coletivo também foram surpreendidos pela greve. Quando os trabalhadores chegaram para dar início ao expediente, por volta das 4 horas, foram dispensados. Eles foram informados que os ônibus não rodam em Campo Grande nesta terça-feira.

Nas garagens, os veículos nem chegaram a ser configurados com o nome dos bairros que deveriam rodar nesta data. As placas que indicam o itinerário também não foram colocadas nos veículos. As quatro garagens das empresas de transporte coletivo ficaram fechadas, segundo o STTCU-CG (Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Coletivo e Urbano de Campo Grande).

O Terminal Júlio de Castilho amanheceu trancado com grades e cadeados. Já no ponto de integração Hércules Maymone, a população até conseguiu entrar, logo cedo, na expectativa de que os ônibus rodassem.

Ônibus nem chegaram a receber as placas com o itinerário. (Foto: Henrique Arakaki)

Greve no transporte coletivo

A greve dos motoristas de ônibus em Campo Grande teve como motivação o atraso no pagamento do vale que representa 40% do salário dos trabalhadores. Responsável por explorar o transporte coletivo da Capital, o Consórcio Guaicurus comunicou aos funcionários sobre o não pagamento do vale na tarde desta segunda (20).

O fechamento das garagens, no entanto, foi deliberado pela direção do STTCU-CG (Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Coletivo e Urbano de Campo Grande) na noite desta segunda, sem realização de assembleia. Demétrio Freitas, presidente do sindicato, disse ao Jornal Midiamax que a situação “chegou no limite” e que as garagens não serão abertas nesta terça.

Segundo o sindicato, o Consórcio Guaicurus não entrou em contato com o sindicato até às 7 horas desta terça. Os motoristas afirmam que mesmo se o vale for pago hoje, os ônibus só voltam a rodar em Campo Grande na quarta-feira (22).

Já a Prefeitura de Campo Grande avalia a legalidade da greve dos motoristas de ônibus do Consórcio Guaicurus.

O secretário Odilon Júnior, titular da Agereg (Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos), disse ao Midiamax que a greve, antes de ser iniciada, deve seguir alguns requisitos, sob risco de ser considerada ilegal. Assim, a Procuradoria do município vai avaliar a legalidade do movimento e, se for o caso, mover ação para garantir o serviço à população.