Fiocruz alerta para risco 'muito alto' de doenças respiratórias em MS

Segundo levantamento, 69% dos casos de doenças respiratórias são positivos para Covid
| 09/06/2022
- 11:52
fiocruz doenças respiratórias covid
Fiocruz monitora casos de doenças respiratórias no Brasil (Foto: Infogripe)

Em levantamento divulgado nesta quinta-feira (9), a Fiocruz revela a tendência de aumento de casos de doenças respiratórias graves em . Na região sul do Estado, os números revelam quantidade ‘muito alta’ de registro de casos das doenças respiratórias, em maioria a Covid-19.

O levantamento leva em conta casos registrados no Estado entre os dias 29 de maio e 4 de junho.

Para que o nível de incidência das doenças seja considerado ‘muito alto’, como é o caso de municípios do sul do Estado, a incidência para cada 100 mil habitantes fica na de 5 a 10. Esse grau é um anterior ao mais grave, o ‘extremamente alto’.

Em curto prazo, o estudo, que não traz números absolutos das doenças, estima que Campo Grande terá estabilidade no número de casos de doenças respiratórias. A longo prazo, período de seis semanas, há 75% de probabilidade de crescimento de casos.

Conforme o levantamento, 69% dos casos de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) são positivos para Covid-19.

Covid avança em MS

Na semana passada, quando Mato Grosso do Sul tinha 2 mil novos casos de Covid-19 em 7 dias, o monitoramento da Fiocruz já alertava para tendência de crescimento da doença no Estado.

Nesta semana, a doença avançou ainda mais com 3,5 mil novos casos em Mato Gross do Sul.

Segundo o boletim divulgado pela SES-MS (Secretaria de Estado de Saúde), o Estado chega a 538.158 casos da doença até hoje. O número de óbitos conta com quatro novos falecimentos nesta semana. Desde o início da pandemia, 10.575 pessoas morreram vítimas do vírus.

Campo Grande é a cidade do Estado com maior quantidade de casos novos, foram 1.582 nos últimos sete dias. Na sequência estão Dourados (222), Naviraí (106) e Chapadão do Sul (105).

Veja também

A taxa de desemprego no Brasil chegou a 9,4% em abril deste ano, o menor...

Últimas notícias