Após dois anos longe da sala de aula, medida imposta pela pandemia da Covid-19, alunos da Rede Municipal de Ensino voltam às aulas nesta quinta-feira (3), em . Estudantes estavam ansiosos para rever os amigos e os professores, entretanto, pais relataram estar apreensivos com a contaminação dentro das escolas.

Na Escola Arlindo Lima, no centro da Capital, o clima era de expectativa e inquietude. Todos os alunos entraram pelos portões usando máscaras, item obrigatório, e respeitando o distanciamento entre outros.

[Colocar ALT]
Jhonatan levou a filha para escola. (Foto: Henrique Arakaki)

Jhonatan Campos, de 32 anos, deixou a filha de 11 anos na porta da escola. Segundo ele, o sentimento é de ‘um pé na frente e outro atrás', expressão para preocupação parcial pelo receio de deixar a menina, ainda com casos da doença. “Fico mais tranquilo porque ela está vacinada”.

Estela Medeiros, de 45 anos, conta que o filho estava ansioso e sem medo algum, pois ele disse que a unidade se preocupa com a saúde. A palavra do menino acalmou a mãe. “Ele disse que a escola toma muito cuidado com isso (protocolos de biossegurança), ele está vacinado”,

Na unidade também havia uma equipe da Guarda Municipal e não havia congestionamento da via.

300 mil alunos de volta às salas de aula

Cerca de 300 mil estudantes da rede estadual e municipal de Campo Grande voltam às aulas 100% presenciais nesta quinta-feira (3). Mesmo com o impasse envolvendo o reajuste dos professores da Reme (Rede Municipal de Ensino), o ano letivo começa sem indicativo de greve.

O Presidente da ACP (Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação), Lucílio Souza Nobre, disse nesta quarta-feira (2) ao Midiamax que apesar de a categoria ainda não ter entrado em um acordo com a Prefeitura, os professores estarão dentro de sala neste começo de ano letivo.

Os educadores da Reme seguem em um impasse com o Município em busca do reajuste salarial. Ainda conforme o presidente do sindicato, a categoria vai buscar uma contraproposta da Prefeitura no final da tarde desta quarta-feira (2) e uma assembleia para debater o assunto vai acontecer na próxima sexta-feira (4).

A REE (Rede Estadual de Ensino) recebe aproximadamente 200 mil estudantes nesta quinta-feira. Após o anunciar reajuste de 33,24% no piso salarial dos professores convocados, os professores de terão reajuste inicial de 20% a partir de março.

Em reunião na noite do último dia 23 de fevereiro, o Governador de MS, (PSDB), e o presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Jaime Teixeira, assinaram termo de compromisso para garantir o reajuste dos professores. Foi definido que os 20% serão pagos na folha de março.

Enquanto a partir de abril, sobe mais 14%, chegando aos 34%. Até outubro, o Governo se comprometeu a cumprir a lei do piso dobrado e pagar reajuste de 90%. O impacto para os convocados na folha do Estado será de R$ 196 milhões para os convocados e para os concursados R$ 100 milhões.