Cotidiano

Primeira quinzena de setembro tem mais de 1 mil focos de incêndio e já é a pior do ano em MS

Ações de combate ao fogo se concentram em Corumbá, responsável por mais de 50% das ocorrências

Gabriel Maymone Publicado em 16/09/2021, às 08h58

Foco de Incêndio no Pantanal
Foco de Incêndio no Pantanal - Divulgação

Os 15 primeiros dias do mês de setembro atingiram a marca de 1.011 focos de incêndios em Mato Grosso do Sul. Assim, a 1ª quinzena do mês é a pior para queimadas no Estado, segundo dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

Conforme o Inpe, 56% desse total  foi registrado em Corumbá, no Pantanal sul-mato-grossense, ou seja, 566 focos de incêndios. Na sequência, está Porto Murtinho, também no pantanal, com 226 focos. As duas localidades respondem por 78% dos focos de queimadas ocorridas no Estado.

Nesse contexto, as ações de combate ao fogo se concentram em Corumbá, especialmente, com a operação Hefesto, do Corpo de Bombeiros. 

Somente na quarta-feira, foram diversas frentes de trabalho:

  • Fazenda Barro Preto - área queimada de 16,58 k m², equipes permanecem no local.
  • Fazenda Jatobazinho - início dos combates às chamas que já consumiram 5,49 km².
  • Região de Nabileque - duas equipes combatendo fogo no local, com área queimada de 7,9 km².
  • Ponte queimada próximo ao Porto da Manga.
Jornal Midiamax