Cotidiano

Novo decreto: governo de MS proíbe abertura de balneários por nove dias

Com as novas medidas restritivas do Governo do Estado para minimizar o avanço da pandemia de Covid-19, todos os setores devem observar as novas e as já vigentes medidas de biossegurança. A partir de sexta-feira (26), Mato Grosso do Sul adota ‘fecha tudo’ de serviços considerados não essenciais. Espaços de grande circulação de pessoas estão […]

Adriel Mattos Publicado em 24/03/2021, às 18h55 - Atualizado em 25/03/2021, às 10h04

Balneário municipal de Jardim. (Foto: Divulgação)
Balneário municipal de Jardim. (Foto: Divulgação) - Balneário municipal de Jardim. (Foto: Divulgação)

Com as novas medidas restritivas do Governo do Estado para minimizar o avanço da pandemia de Covid-19, todos os setores devem observar as novas e as já vigentes medidas de biossegurança. A partir de sexta-feira (26), Mato Grosso do Sul adota ‘fecha tudo’ de serviços considerados não essenciais.

Espaços de grande circulação de pessoas estão proibidos de funcionar até 4 de abril. Isso inclui centros esportivos, clubes, salões e até balneários. Apenas 45 atividades consideradas essenciais podem funcionar neste período.

Cidades turísticas são contra

Para os municípios que têm o turismo como uma das principais atividades econômicas, a restrição pode causar prejuízos.  Bodoquena, Bonito, Jardim e Rio Verde de Mato Grosso, por exemplo, têm algumas restrições nesta atividade.

Nesta semana, a prefeitura de Bodoquena teve que voltar atrás após protestos de empresários do setor. Após o ‘fecha tudo’ em Campo Grande, o município adotou medidas semelhantes, mas acabou liberando o turismo.

Em Bonito, apesar das restrições, os atrativos não sentiram tanto após a primeira ampliação das restrições pelo governo. Apenas 10% das reservas foram canceladas, segundo a Abaetur (Associação Bonitense de Agências de Ecoturismo).

Restrições

Com quatro cidades com risco extremo de transmissão do novo coronavírus, superlotação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e quase 200 pacientes aguardando vagas, o governo ampliou as restrições após ouvir os prefeitos dos 79 municípios. 

Assim, passam a ser permitidas apenas atividades consideradas como essenciais e elencadas no decreto para funcionamento de 26 de março a 4 de abril.  Além disso, o toque de recolher foi mantido das 20h às 5h em todo o Estado.

Aos finais de semana, sábado e domingo, foi mantida a restrição de circulação e funcionamento de estabelecimentos das 16h às 5h. Algumas atividades, como farmácias, hipermercados e outros podem funcionar após os horários de toque de recolher.

Jornal Midiamax