O transporte coletivo de Campo Grande deve parar por duas horas no início desta segunda-feira (20) para a realização da assembleia extraordinária que acontece nas sedes das quatro empresas de ônibus da cidade. De acordo com o STTCU (Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo Urbano), a previsão é que comece às 5h da manhã e termine às 7h.

O principal ponto é discutir sobre a lei 6.481, sancionada pelo prefeito Marquinhos Trad na última semana, que trata da alteração dos itens do Sistema Municipal de Transporte e permite também, a aplicação de multa por eventual descumprimento de regras pelo Consórcio Guaicurus, não sendo mais necessário a anuência das empresas de ônibus.

Ainda segundo a lei, outra previsão é multa de forma remota por parte da Agetran (Agência Municipal de Trânsito e Transporte), que consegue monitorar rotas e viagens em tempo real.

De acordo com o diretor financeiro da STTCU, William Alves, o impacto deve ser muito grande nas linhas de ônibus, seja elas de bairro ou terminais, que costumam iniciar seus serviços logo nas primeiras horas da manhã. Desta forma, os trabalhadores devem ficar atento e procurar outros meios de deslocamento para seus respectivos trabalhos. Para o diretor, o ato é considerado como “uma greve”, definiu brevemente.

Novo horário no comércio

Conforme decreto publicado na última quarta-feira (15), comércios do Centro, shoppings, academias, salões de beleza, entre outros, não funcionarão no fim de semana, entre 18 a 31 de julho. Durante a semana, o horário de funcionamento nestes locais fica entre 9 e 17 horas, com máximo de 30% da capacidade no interior do estabelecimento. Vale ressaltar que o toque de recolher está mantido e só é permitido circular nas ruas da Capital até as 20 horas.