Cotidiano

No retorno do fundamental, escolas ampliam número de salas e diminuem o de alunos

Com o retorno das aulas do ensino infantil e médio, agora chegou a vez do ensino fundamental das escolas particulares voltarem as atividades em Campo Grande. As unidades voltam seguindo medidas de biossegurança contra o coronavírus, impostas pela prefeitura, por meio da assinatura de um termo de compromisso com a Vigilância Sanitária. Entre as medidas, […]

Dayene Paz Publicado em 04/11/2020, às 09h03 - Atualizado às 15h27

Imagem: Henrique Arakaki
Imagem: Henrique Arakaki - Imagem: Henrique Arakaki

Com o retorno das aulas do ensino infantil e médio, agora chegou a vez do ensino fundamental das escolas particulares voltarem as atividades em Campo Grande. As unidades voltam seguindo medidas de biossegurança contra o coronavírus, impostas pela prefeitura, por meio da assinatura de um termo de compromisso com a Vigilância Sanitária. Entre as medidas, as unidades ampliaram o número de salas e diminuíram o número de alunos.

E foi com alegria que muitas crianças retornaram nesta quarta-feira (04) ao colégio Harmonia. Nem fez diferença passar pela triagem na chegada, com aferimento de temperatura e muito menos o álcool em gel, sem falar do uso obrigatório da máscara. Tudo já faz parte da rotina dos pequenos. “Ele estava empolgado para voltar, rever os amigos, para ele foi bem tranquilo decidir pela volta”, conta a mãe Jocélia Ferreira dos Santos.

No retorno do fundamental, escolas ampliam número de salas e diminuem o de alunos
Escola manterá de 9 a 14 alunos por sala. Imagem: Henrique Arakaki

No início, a mãe conta que chegou a ficar com medo, mas depois viu que havia a possibilidade de levar o filho, vendo o retorno de outras escolas, sem registro de contaminação. “Teve reunião por aplicativo com orientações, então me senti segura”, completa.

A diretora da unidade escolar, Talita Martins, afirmou que a escola atende ensino infantil e médio. “Retornamos com os dois. Estávamos preparados só esperando o decreto e voltar com o fundamental”, explica. Talita também destaca que o número de pais que decidiram voltar com filhos no ensino fundamental foi bem mais alto que o número do infantil e médio. “Viram como a escola estava trabalhando e esse número aumentou”.

A escola estava preparada para o cenário de volta, mesmo ainda em pandemia. “Estávamos preocupados de o número ser maior que o permitido, mas não teve esse problema. A escola atende em duas unidades. Em uma serão 250 crianças que voltam e antes eram 520 nessa unidade. Elas estudavam em período integral, agora, vai ser dividido em período matutino e vespertino, 5 horas cada”, explica Talita.

A outra unidade vai continuar com o ensino integral. “O número de alunos na outra é de 145. Por ser menor, conseguimos manter ensino integral”, destaca. Nesta unidade, cada sala, antes ocupada por cerca de 25 alunos, agora terá de 9 a 14. O número de salas com aula também aumentou, junto a isso, a contratação de mais profissionais.

Sobre os horários de atividades, cada aluno traz seu lanche e a refeição é feita dentro da sala mesmo, para manter o distanciamento. O recreio também é feito em horários diferentes, por sala e com tempo menor. A unidade mantem a limpeza de equipamentos, álcool em gel e colocou cartazes informativos.

Retorno gradual

O número de escolas que irão retornar com aulas presenciais do Ensino Fundamental é menor que as escolas de Ensino Médio que voltaram no dia 19 de outubro. Apenas 18 instituições assinaram o termo de compromisso com a Vigilância Sanitária. Apesar de faltar cerca de um mês para o fim do ano letivo, algumas escolas ainda aguardam finalizar os preparativos e marcaram a volta das crianças para a semana que vem.

Para poder receber os alunos, cada instituição deve assinar um termo de compromisso com a Vigilância Sanitária, comprometendo-se a cumprir todas as medidas de biossegurança exigidas. As regras são as mesmas cobradas no retorno do Ensino Infantil e do Médio. Veja algumas:

  • Capacidade máxima de 30% do estabelecimento (exceto Ensino Infantil, que tem capacidade de 50%);
  • Mesas e carteiras devem estar distantes 1,5 metro entre uma e outra;
  • Distanciamento mínimo de 5 metros para realização de aulas de educação física;
  • Uso de máscara facultativo para crianças de até 6 anos;
  • Deixar janelas abertas e evitar o uso de ar condicionado;
  • Crianças com secreções nas roupas terão que trocar de vestes;
  • Salas devem ser desinfetadas durante os intervalos e atividades externas;
  • Aferição de temperatura corporal;
  • Quem aferir a temperatura deve usar avental de manga longa, máscara e óculos ou protetor facial;
  • Funcionários devem manter o cabelo preso, unhas curtas e não usar brincos e anéis.
Jornal Midiamax