Pela escala da Sesau, 5 clínicos gerais deveriam atender à tarde

Pacientes que buscaram atendimento na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Vila Almeida, na tarde desta terça-feira (3), lamentaram sofridas horas de espera e ausência de médicos. Pela escala da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), 4 clínicos gerais e 5 pediatras deveriam atender a população.

“Cheguei aqui por volta das 13h, mas até agora não conseguir ser atendido”, conta o vigilante Adevaldo Santos da Costa, de 36 anos, que desistiu após 5h de espera. Ele disse que foi possível ver apenas uma única médica atendendo todos os pacientes que ali chegavam.

“Lá pelas 15h chegou um outro médico, mas ele ficou somente até as 17h e depois foi embora. A outra médica voltou a ficar sozinha depois disso”, confessa. O vigilante afirmou à reportagem do Jornal Midiamax precisou ser atendido outras vezes nas últimas duas semanas, mas o problema persiste. “Quem sofre é a população”.

A pensionista Isabel dos Santos, de 39 anos, chegou na UPA Vila Almeida por voltas das 13h30 para acompanhar a neta e o cunhado. Ela conta que antes de ir à UPA, verificou com o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) quantos profissionais estariam atendendo nesta tarde, mas, segundo a pensionista “chegando aqui a realidade é outra”.

No local, a reportagem verificou que centenas de pessoas ainda aguardavam atendimento, tanto crianças quanto adultos. Todas as cadeiras do saguão principal estavam ocupadas, assim como no secundário.

“Cheguei aqui 8h da manhã, sentindo dormência no braço esquerdo e dor nas mãos, não consegui nem dormir direito, mas infelizmente estou indo para casa sem ser atendida”, lamentou a idosa Sebastiana Moreira dos Santos, de 65 anos.

Sebastiana, assim como Adevaldo, também afirmou que presenciou a entrada e saída do médico em questão. “Só vi uma clínica geral atendendo hoje, até a equipe do hospital confessou que só ela estava atendendo”, conta.

A reportagem foi ao local, inicialmente, para apurar denúncias de que haveria ausência de pediatras na UPA em questão. Em nota, a Sesau havia informado que todos os 5 especialistas escalados estavam atendendo, tanto no período matutino, quanto no vespertino.

Entretanto, após ouvir o que os pacientes tinham a dizer, verificamos que a maior reclamação do dia deles era, na verdade, sobre o número de clínicos gerais. Tentamos novo contato com a assessoria de imprensa da Sesau, mas até o fechamento desta reportagem não obtivemos retorno. O espaço permanece aberto para manifestação.