Cotidiano

MS atinge 65 mortes por gripe e risco aumenta com chegada do inverno

Doença é transmitida com muito mais facilidade no frio

Midiamax Publicado em 22/06/2016, às 19h09

None
frio.jpg

Doença é transmitida com muito mais facilidade no frio

O inverno chegou em todo o hemisfério sul. Desde a última terça-feira (21) começou a estação mais fria e com ela uma notícia preocupante, a probabilidade de transmissão do vírus H1N1, responsável por 65 mortes em Mato Grosso do Sul apenas em 2016, e a tendência é que os números cresçam mais na nova estação.

Conforme o último boletim epidemiológico, divulgado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) nesta quarta-feira (22), desde o início do ano foram registrados, em Mato Grosso do Sul, 1.042 notificações de Síndrome Respiratória Aguda Grave, 324 casos confirmados de H1N1, um de H3N2, um de influenza A não subtipado e oito de influenza B.

O médico infectologista José Ivan Aguiar afirma que doença é mais comum no período em que as temperaturas estão mais baixas e por isso os casos tendem a aumentar. “É esperado que com o inverno os casos da doença aumentem porque com a diminuição da temperatura a mucosa respiratória fica mais desprotegida e as pessoas têm mais chances de ter gripe”, explica.

Além disso, o infectologista destaca que os hábitos mais comuns no frio, tendem a aumentar a possibilidade de transmissão do vírus. “As pessoas ficam mais próximas; os ambientes mais fechados, sem circulação do ar, e isso favorece a transmissão do vírus”, observa.

O médico frisa que o mais importante é a prevenção. Segundo ele, os cuidados básicos devem ser redobrados.

“É uma doença que tem essa característica que a torna mais comum no frio. Todo ano é assim, em maior ou menor grau, dependendo das condições de temperatura e da prevenção da população. As prevenções são as mesmas, mas é preciso ter essa atenção e reforçar os cuidados”, frisa.

A assessoria de comunicação da SES afirma que fará distribuição de cartilha de conscientização para explicar a importância da precocidade do tratamento, além dos cuidados e higiene básicos. A equipe de reportagem do Jornal Midiamax questionou se a secretaria tem alguma estimativa dos casos durante a próxima estação e foi informada de que até o momento não há informações a respeito.

O secretário responsável pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), Ivandro Fonseca, afirma que o município também irá distribuir cartilhas de conscientização e dicas de prevenção contra o vírus e que os profissionais de saúde foram treinados para lidar com possíveis casos de H1N1.

"Estamos desenvolvendo ações desde o início de abril e qualificamos em torno de 800 servidores com o objetivo de contermos o avanço da doença. Todos os profissionais, técnicos de enfermagem estão qualificados".

Medidas de prevenção:

  • Cobrir o nariz e a boca com lenço, ao tossir ou espirrar, e descartar o lenço no lixo após uso.
  • Lavar as mãos com água e sabão após tossir ou espirrar.
  • No caso de não haver disponibilidade de água e sabão, usar álcool gel.
  • Evitar tocar olhos, nariz ou boca.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas.
  • Manter os ambientes bem ventilados.
  • Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de influenza.
  • Evitar sair de casa em período de transmissão da doença.
  • Evitar aglomerações e ambientes fechados (procurar manter os ambientes ventilados).
  • Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.

(Colaborou Mayara Sá)

Jornal Midiamax