Cotidiano

Lei garante a renais crônicos o encaminhamento a hospitais públicos

Pacientes não deverão mais receber encaminhamento a UPAs ou postos de saúde

Joaquim Padilha Publicado em 24/10/2016, às 12h41

None
susrenaiscronicos.jpeg

Pacientes não deverão mais receber encaminhamento a UPAs ou postos de saúde

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), sancionou nesta segunda-feira (23) um projeto de lei de autoria do vereador Edil Albuquerque (PTB), que institui o programa “Vaga Zero” destinado a agilizar o atendimento de pacientes renais crônicos submetidos a TRS (Terapia Renal Substitutiva).

Segundo o projeto, os doentes renais crônicos atendidos em qualquer unidade de urgência que apresentarem quadro clínico com risco de morte ou sofrimento intenso, terão direito a serem encaminhado diretamente a uma unidade hospitalar da rede pública com capacidade para o tratamento adequado.

Atualmente, em Campo Grande, muitos pacientes renais crônicos quando passam por situações de urgência sofrem com o encaminhamento para UPAs (Unidade de Pronto Atendimento) e postos de saúde que não possuem os equipamentos necessários ao atendimento adequado.

A afirmação foi feita pelo paciente renal Isaias José de Medeiros, que luta contra a doença há dez anos, na sessão que votou a favor do projeto de lei na Câmara Municipal de Campo Grande, em 22 de setembro. Na ocasião, ele elogiou o projeto de lei. “Agora com o vaga zero, este encaminhamento direto para os hospitais que são capacitados para o atendimento possibilitará esperança”.

Atualmente, a doença renal crônica atinge 10% da população mundial e afeta pessoas de todas as idades e raças. A estimativa do Ministério da Saúde é que um em cada cinco homens e uma em cada quatro mulheres com idade entre 65 e 74 anos sejam afetados pela enfermidade, sendo que metade da população com mais de 75 anos tem a doença em algum grau.

(Sob supervisão de Ludyney Moura)

Jornal Midiamax