O ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), afirmou na noite desta sexta-feira, 10, que a mantém o combate aos atos antidemocráticos ao Estado de Direito e aos “covardes ataques às instituições” após as eleições presidenciais do ano passado. Moraes disse ainda que o Judiciário continuará atuando de maneira séria, imparcial e firme, “os discursos de ódio, mentiras e loucuras de alguns setores da nossa sociedade”.

“A Justiça Eleitoral continua se preparando para combater atos antidemocráticos ao Estado de Direito, covardes ataques, violências às instituições, à Justiça Eleitoral e aos seus membros. A Justiça Eleitoral continuará atuando de maneira séria, imparcial e firme, os discursos de ódio, mentiras e loucuras de alguns setores da nossa sociedade”, afirmou.

O ministro ressaltou que a Justiça não vai admitir “qualquer ferimento à Democracia do Brasil”.

“O Brasil deve voltar a ser um país de diálogo, respeito e paz. As consequências do ódio e da violência são o vazio e a mágoa. Extremistas violentos são vazios e para o vazio voltarão. No pleito de 2022, a desinformação perdeu. As perderam. Não foram derrotadas definitivamente, mas perderam. A democracia e o respeito ao Estado de Direito venceram”, disse.

Moraes participou da solenidade de entrega de medalhas honoríficas no Palácio da Democracia, futura sede do Tribunal Regional Eleitoral do (TRE-RJ), no Centro do Rio

O presidente da Corte Eleitoral fluminense, desembargador Elton Leme, entregou a Medalha do Mérito Eleitoral e a Medalha Comemorativa dos 90 anos da Justiça Eleitoral para “pessoas que prestaram relevantes serviços à Justiça Eleitoral, à cultura jurídica eleitoral e à democracia”. Vinte e sete pessoas foram agraciadas.

Saiba Mais