Variedades / Saúde

Sesau inaugura a primeira sala de amamentação de Mato Grosso do Sul

O Hospital é a primeira instituição de MS a implantar

Diego Alves Publicado em 15/06/2015, às 21h15

None
20150615163812.jpg

O Hospital é a primeira instituição de MS a implantar

A Secretaria Municipal de Saúde Pública (Sesau) inaugurou na tarde desta segunda-feira (15) a Sala de Amamentação, implantada no Centro de Educação Infantil Maria Aparecida Moraes D’ Avila, da Santa Casa de Campo Grande. O Hospital é a primeira instituição de Mato Grosso do Sul a implantar a sala voltada para as mães trabalhadoras que estão retornando da licença maternidade e pretendem dar continuidade no aleitamento materno.

“A alimentação e nutrição adequadas são requisitos essenciais para o crescimento e desenvolvimento de toda criança, principalmente na faixa etária de zero a dois anos de vida. A implantação dessa sala vem de encontro ao que o Ministério da Saúde preconiza, que é incentivar e valorizar o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de vida e dar continuidade, juntamente com outros alimentos, até pelo menos os dois anos”, explica a gerente técnica do Programa de Alimentação, Nutrição e Aleitamento Materno, Híldice Chaves Alves Pereira.

Ainda segundo ela, Campo Grande é referência em humanização e incentivo à amamentação. “A Sesau busca incentivar a mãe, que na maioria das vezes é condicionada a interromper a amamentação seja pela volta ao trabalho ou por influência da sociedade. A prova de que a gestão tem sido parceira nesse incentivo, é a redução na mortalidade materna e infantil – com estatísticas históricas em Campo Grande, que está diretamente ligada à atenção que a mãe e o bebê recebem na Atenção Básica desde o pré-natal até a primeira infância”, enaltece.

Para a consultora do Ministério da Saúde, Renara Guedes Araújo, a sensibilização dos gestores gera a segurança para que a mãe possa dar continuidade à amamentação, seja em seu ambiente de trabalho ou em qualquer outra situação. “Isso é o que o Ministério preconiza: incentivar a amamentação nos primeiros anos de vida, que é o que garante que o bebê tenha acesso a todos os nutrientes do leite materno nessa fase”, explica.

A sala é voltada a todas as lactantes que trabalham na Santa Casa, contratadas ou terceirizadas. O espaço conta com o apoio de profissionais capacitados para que as mães trabalhadoras façam a retirada do leite, armazenam e levem para casa para que possam oferecer aos seus filhos. Como o leite materno é a principal fonte de nutriente e responsável pelo ganho de peso da criança, as mães em período de amamentação que trabalham no hospital poderão se beneficiar desta sala, o mesmo ocorrendo com os seus filhos.
A Santa Casa conta hoje com mais de 2.500 funcionários, sendo que 1.410 são mulheres em idade fértil (16 a 49 anos) e cerca de 120 funcionárias engravidam anualmente, dando entrada com licença maternidade.

Sobre a implantação de outras salas de amamentação e o envolvimento de outras instituições nesse incentivo, a gerente técnica do Programa de Aleitamento Materno da Sesau conta que a intenção é ampliar o serviço para outras instituições e assim, gerar responsab

Jornal Midiamax